A+ / A-

Alemão Manfred Weber é o candidato conservador à presidência da Comissão Europeia

08 nov, 2018 - 17:22

Membro da maior família política do Parlamento Europeu, da qual fazem parte do PSD e o CDS-PP, não é certo que Weber venha a ser o sucessor de Jean-Claude Juncker em 2019.
A+ / A-

O alemão Manfred Weber será o candidato do Partido Popular Europeu (PPE) ao cargo de presidente da Comissão Europeia, após ter sido eleito esta quinta-feira, em Helsínquia, no congresso desta família política, que inclui os partidos portugueses PSD e CDS-PP.

Weber, atual líder do grupo do PPE no Parlamento Europeu, recolheu 492 votos dos delegados (79,5%), contra 127 de Alexander Stubb, antigo primeiro-ministro finlandês, pelo que será o ‘spitzenkandidat’ daquela que é atualmente a maior família política europeia à sucessão de Jean-Claude Juncker.

Dos 758 delegados com direito de voto, apenas 621 votaram, com dois dos votos a serem declarados nulos.

“Sentimos a união dentro do partido, este não é um sucesso de um indivíduo, é um sucesso para nós que somos a maior força política europeia”, começou por sublinhar Manfred Weber.

Confirmada a vitória, o bávaro de 46 anos percorreu o corredor central do Messukeskus de Helsínquia ao som de ‘rock’, numa celebração “à americana”, na qual foi distribuindo cumprimentos até subir ao palco, onde abraçou a chanceler alemã, Angela Merkel, aquela que, muito provavelmente, será a maior responsável pela votação expressiva que hoje recebeu, e o seu ‘rival’.

“Quero agradecer novamente ao Alex a competição leal das últimas semanas. A sua forma de fazer as coisas, a sua abordagem ambiciosa, terão de fazer parte da nossa campanha para 2019. Conto contigo”, disse, convidando o finlandês a unir-se à sua campanha rumo à presidência da Comissão Europeia.

No discurso da consagração como candidato da maior família política europeia, Weber frisou que o PPE quer ter “uma Europa democrática e ambiciosa”, instando todos os delegados a, no regresso a casa, transmitirem às pessoas que os democratas-cristãos têm uma ideia de futuro para a Europa.

“O que me deixa feliz é que posso apoiar a 100% o nosso candidato à presidência da Comissão. Penso que é um homem extraordinário e desejo-lhe toda a sorte”, realçou Stubb, antes de o “Hino da Alegria” entoar no Messukeskus de Helsínquia, no encerramento de um congresso que expôs toda a força política do PPE.

À família política, que integra PSD e CDS-PP, pertencem nove chefes de Governo da União Europeia, e 14 comissários europeus, além de Juncker, do presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, e do presidente do Parlamento Europeu, Antonio Tajani.

Manfred Weber junta-se assim oficialmente ao socialista holandês Frans Timmermans na lista dos “Spitzenkandidaten” já anunciados.

O processo de designação do presidente do executivo comunitário entre os cabeças de lista indicados pelas famílias políticas europeias (os chamados “Spitzenkandidaten”, termo alemão que se pode traduzir por “candidatos principais”), segundo os resultados eleitorais, foi inaugurado por ocasião das anteriores eleições europeias, em 2014.

Antes, o presidente da Comissão era escolhido pelo Conselho Europeu - chefes de Estado e de Governo da União Europeia -, e posteriormente ratificado pelo PE, tendo Durão Barroso sido o último presidente do executivo comunitário (2004-2014) a ser indicado sem recurso ao método atual.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.