A+ / A-

EUA. Grupo de amigos sobrevive pela segunda vez a tiroteios em massa

08 nov, 2018 - 16:43

Grupo estava no bar do sul da Califórnia quando um homem armado abateu 12 pessoas esta quarta-feira. No ano passado, já tinha escapado ileso de um ataque em Las Vegas.
A+ / A-

Para um grupo de amigos que estava no bar do sul da Califórnia quando um atirador matou 12 pessoas na noite de quarta-feira, esta foi a segunda vez que conseguiram escapar ilesos aos disparos de um assassino em série.

A história foi contada por um deles ao canal CBS, ao qual descreveu que o seu grupo, que estava dentro do Borderline Bar and Grill em Thousand Oaks à hora do ataque, também sobreviveu ao tiroteio que provocou 58 mortos e que feriu outras 500 pessoas num espectáculo de música country em Las Vegas, em outubro do ano passado.

"É a segunda vez em cerca de um ano que isto nos acontece ", garantiu Nicholas Champion. "Isto é algo de tremendo. Somos todos uma grande família e, infelizmente, essa família foi atingida duas vezes."

Mais de 100 pessoas estavam dentro do bar à hora do tiroteio, incluindo muitos estudantes universitários que estavam a celebrar a "College Country Night".

A polícia local já adiantou que o suspeito foi encontrado já morto dentro do bar, avançando que terá cometido suicídio. O xerife do condado de Ventura, Geoff Dean, descreveu aos repórteres: "O que se passou lá dentro foi horrível. Há sangue por toda parte."

Ainda se desconhecem as motivações do alegado atirador, entretanto identificado como Ian David Long, um homem de 28 anos que usou uma pistola automática de calibre .45 para levar a cabo o ataque de ontem.

No local, o maior espaço de música ao vivo da região, estava a decorrer uma festa "country" para estudantes universitários.

Thousand Oaks fica a cerca de 60 quilómetros a noroeste do centro de Los Angeles e não muito longe das áreas de Calabasas e Malibu.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.