A+ / A-

"Situação desesperante". Falhas informáticas constantes condicionam centros de saúde

08 nov, 2018 - 08:38

Os médicos queixam-se da dificuldade em prescrever exames e análises clínicas.
A+ / A-

Há centros de saúde em dificuldades por causa das falhas informáticas que se agravaram nos últimos dias. São adiadas consultas e exames que não são prescritos.

Em comunicado enviado à Renascença, a Associação Nacional de Centros de Saúde revela que desde o início da semana que o programa SClínico está "persistentemente a falhar". Uma situação que está a ter um grande impacto nos tempos de espera, levando e ao adiamento de muitas consultas.

“Para além de desconcentrar e romper a confiança estabelecida na relação médico/enfermeiro-utente, consideramos igualmente um profundo desrespeito pelos próprios utentes que recorrem aos serviços de saúde do Serviço Nacional de Saúde!”, pode ler-se no mesmo texto.

Os médicos queixam-se ainda de dificuldades em prescrever exames e analises clínicas.

“Uma situação desesperante”, qualifica Rui Nogueira em declarações à Renascença. O presidente da Associação de Médicos de Saúde Geral e Familiar diz que esta situação, que se arrasta de norte a sul do país, “interfere na relação com os doentes”.

“Apelamos à Senhora Ministra da Saúde que abandone esta passividade e que exija soluções aos responsáveis pelos SI da saúde”, apela o comunicado.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Antonio
    08 nov, 2018 Lisboa 17:47
    Tal como aconteceu no portal da AT, onde este governo alterou a imagem dando aos "boys e girls " do PS um faz de conta de desenvolvimento informático. Agora deve estar a acontecer o mesmo na saúde. Para justificar mais uns milhões para boys, devem estar a colocar um género de página que só serve para atrasar. Entrar na AT é mais lento que era. Não sendo isto perguntem a quem de direito o que se passa com os servidores.... ou estão alojados na CHINA??? com este governo tudo é possível!!