A+ / A-

Adidas vai pagar 110 milhões por ano ao Real Madrid

05 nov, 2018 - 15:16

O clube espanhol, que assim duplica o acordo atual, vai receber 1.000 milhões de euros em dez anos. A camisola "merengue" passará, em 2020, a ser a mais cara do desporto mundial.
A+ / A-

O Real Madrid e a Adidas têm preparado um acordo de patrocínio no valor de 1.100 milhões de euros distribuídos por dez anos, entre 2020 e 2030, revela o jornal "Marca". Este acordo, pendente de assinatura, fará da camisola do clube espanhol a mais cara do desporto mundial.

O Real receberá um valor fixo de 110 milhões de euros por ano, mais uma parte variável relativo à exploração do "merchandising". Ao todo, os números poderão ascender aos 150 milhões de euros anuais. De qualquer forma, os 110 milhões fixos já duplicarão o atual acordo, assinado em 2012: 52 milhões de euros, 42 fixos e dez em variáveis.

A Adidas veste o Real Madrid, de forma contínua, desde 1998. Com o contrato a terminar e com o Real a evidenciar, segundo a "Marca", que sentia que o acordo atual não refletia a sua importância no mercado, a Nike e a Under Armour sondaram o clube, com vista à possibilidade de o arrebatarem à Adidas, contudo, a parceria manteve-se.

Com este novo acordo, o Real Madrid ultrapassará o Manchester United como o clube que mais recebe de marcas de roupa de desporto. O clube inglês recebe 85 milhões de euros por ano da Nike. Para se ter noção de quão altos os valores realmente são, basta olhar para a NBA. A Liga de basquetebol norte-americana tem um acordo de patrocínio com a Nike, que veste as 21 equipas participantes, por 1.000 milhões de dólares, por 12 anos. Ou seja, 125 milhões de dólares por ano, o que dá cerca de 110 milhões de euros por temporada, para repartir entre 21 franquícias. A mesma quantidade que a Adidas pagará apenas ao Real Madrid.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.