A+ / A-

Estado Islâmico mata 12 na Síria

04 nov, 2018 - 16:10

O balanço é do Observatório Sírio dos Direitos do Homem.
A+ / A-

Um ataque do Estado Islâmico (EI) matou 12 membros das Forças Democráticas Sírias (FDS), força curdo-árabe apoiada pelos Estados Unidos que combate os 'jihadistas', revelou o Observatório Sírio dos Direitos do Homem (OSDH).

Um porta-voz das FDS, Mustefa Bali, confirmou à agência France-Presse o ataque, mas desmentiu a perda de vidas, particularmente na força curdo-árabe.

Segundo a OSDH, "um 'jihadista' do EI fez explodir a viatura que conduzia, perto de uma posição das FDS", na província de Deir Ezzor, no leste da Síria, não muito longe da fronteira iraquiana.

O ataque, entre as localidades de Hajine (detida pelos 'jihadistas') e Al-Bahra (controlada pelas FDS), fez "12 mortos e 20 feridos" entre a unidade de curdos-árabes.

A OSDH referiu que os 'jihadistas' avançaram em direção a Al-Bahra, onde se encontra uma pequena base de elementos das FDS "e de conselheiros da força de coligação internacional".

No sábado, pelo menos 14 civis e nove 'jihadistas' foram mortos em ataques aéreos da coligação a Hajine e duas outras localidades próximas.

Na quarta-feira, as FDS anunciaram a suspensão temporária das ofensivas contra o EI na região de Hajine, onde pelo menos 327 combatentes da força curdo-árabe e 523 'jihadistas' perderam a vida.

Desde 2011, o conflito na Síria provocou mais de 360.000 mortos e metade da população síria foi obrigada a abandonar o país.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Anónimo
    04 nov, 2018 18:43
    Para o Trump estes devem ser "very fine people"...