A+ / A-

EUA. Twitter encerra milhares de contas que apelavam à abstenção

04 nov, 2018 - 00:05

Os Estados Unidos vão ter eleições intercalares na próxima terça-feira.
A+ / A-

A rede social Twitter desativou milhares de contas com mensagens que instavam os norte-americanos a não votar nas eleições intercalares da próxima terça-feira.

Um porta-voz do Twitter, citado pela agência Efe, confirmou que a medida foi adotada em setembro e outubro.

Foram afetadas mais de 10 mil contas, popularmente conhecidas como bots, pelos tweets que publicam de maneira programada.

“Eliminámos uma série de contas por estarem envolvidas em tentativas de difundir desinformação de forma automatizada, o que representa uma violação das nossas políticas. Detivemos isso rapidamente e de raiz”, assegurou o porta-voz do Twitter via correio eletrónico.

As contas tinham, nos seus perfis ou mensagens, características que as ligavam falsamente ao Partido Democrata, o que a Comissão Democrata de Campanhas do Congresso (DCCC, na sigla inglesa) detetou e comunicou ao Twitter para que agisse.

O porta-voz do Twitter reconheceu que a empresa tem “linhas de comunicação diretas” com “as organizações de campanha dos dois principais partidos” políticos dos Estados Unidos, com o objetivo de evitar que a sua plataforma seja utilizada para interferir indevidamente no processo eleitoral.

A campanha para promover a abstenção em nome dos democratas teve aparentemente origem dentro dos Estados Unidos, segundo fontes próximas, e o Twitter não suspeita de qualquer ingerência estrangeira.

As gigantes da Internet redobraram nos últimos meses os esforços para evitar que nas eleições legislativas as suas plataformas voltem a ser usadas para promover notícias falsas ou levar a cabo manobras coordenadas de ingerência eleitoral, como ocorreu nas eleições presidenciais de 2016.

Segundo os serviços secretos norte-americanos, nessa ocasião, piratas informáticos russos lançaram uma operação coordenada na internet para influenciar os resultados a favor do então candidato republicano, o atual Presidente, Donald Trump.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.