A+ / A-
Moto2

Miguel Oliveira fica à frente de Francesco Bagnaia

28 out, 2018 - 13:32

O piloto de Almada partiu do 20.º lugar da grelha mas conseguiu recuperar dez posições nas primeiras três voltas da corrida.
A+ / A-

O português Miguel Oliveira (KTM) lamentou este domingo não ter conseguido recuperar mais do que um ponto para o líder do Mundial de Moto2 depois de ter terminado o Grande Prémio da Austrália na 11.ª posição.

O piloto de Almada partiu do 20.º lugar da grelha mas conseguiu recuperar dez posições nas primeiras três voltas da corrida, antes de se fixar no 11.º lugar, imediatamente à frente do seu principal adversário na luta pelo título, o italiano Francesco Bagnaia (Kalex), não conseguindo repetir o triunfo do ano passado no circuito de Phillip Island.

A prova acabou por ser uma passagem discreta dos candidatos ao título mundial de Moto2. Com estes resultados, quando faltam duas corridas (Malásia e Valência) e há 50 pontos em jogo, Miguel Oliveira está a 36 pontos do seu opositor, que tem, este domingo, em Sepang, oportunidade de resolver a questão do título a seu favor.

Francesco Bagnaia saiu de 16.º e Miguel Oliveira de 20.º, os dois candidatos ao título fizeram uma corrida de recuperação, com o italiano, a partir do momento em que foi suplantado pelo português, a limitar-se a segui-lo, sem correr riscos com o pensamento no título.

O sul-africano Brad Binder (KTM), companheiro de equipa de Miguel Oliveira, garantiu o triunfo, o terceiro do ano, à frente dos espanhóis Joan Mir (Kalex), batido em cima da meta, e Xavi Vierge (Kalex) que terminou com o seu compatriota Augusto Fernandez (Kalex) colado a si.

O sul-africano teve nos italianos Mattia Pasini (Kalex), na fase inicial, e Lorenzo Baldassarri (Kalex), na parte final, os seus mais diretos adversários, mas a queda dos “motards” transalpinos permitiu aos espanhóis discutirem a vitória.

MotoGP a cumprir calendário

Em MotoGP, o espanhol Maverick Viñales (Yamaha) colocou a marca dos três diapasões no lugar mais alto do pódio, o que não sucedia desde o GP da Holanda do ano passado, naquela que foi a sua 21.ª vitória.

Os italianos Andrea Iannone (Suzuki) e Andrea Dovizioso (Ducati) acompanharam-no no pódio, enquanto o virtual campeão do mundo, o espanhol Marc Marquez (Honda), que chegou a passar pelo comando, abandonava, ainda na fase inicial, com problemas na moto.

A corrida de Moto3 foi a mais emotiva do ano, com a vitória a decidir-se nos derradeiros metros, com o espanhol Albert Arenas (KTM) a garantir o triunfo, o segundo da carreira, diante de um pelotão, de 14 pilotos, que coube num segundo, com os cinco primeiros a ficarem separados por menos de 0,1” (!), depois de uma corrida em que as trocas de posição foram uma constante.

Os italianos Fábio Di Giannantonio (Honda) e Celestino Vietti (KTM) completaram o pódio, enquanto o espanhol Jorge Martin (Honda), quinto, regressou ao comando do campeonato, com 12 pontos de avanço sobre o italiano Marco Bezzecchi (KTM) que caiu, quando integrava o grupo da frente.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.