A+ / A-

​Papa escolhe missionário para novo bispo das Forças Armadas e de Segurança

27 out, 2018 - 11:00 • Ângela Roque

Rui Valério deixa a paróquia da Póvoa de Santo Adrião para assumir a diocese castrense. Na sua primeira mensagem saúda todos os militares com a “continência” da paz.
A+ / A-

Missionário monfortino, Rui Manuel de Sousa Valério tem 54 anos. Escolhido este sábado pelo Papa para ser o novo bispo das Formas Armadas e de Segurança, já reagiu à notícia com uma mensagem especial a toda a diocese, divulgada através do Patriarcado de Lisboa.

“Quero desde já enviar uma saudação muito próxima a toda a diocese das Forças Armadas e de Segurança, uma saudação particularizada nos militares, no pessoal militarizado, nos agentes de segurança, no pessoal civil. E é uma saudação sustentada com aquela grande máxima que orienta a nossa vida, que está sintetizada naquele gesto com que nos cumprimentamos reciprocamente, que é a continência, e que significa um gesto de paz. Por isso a minha saudação aqui é concretizada com ‘a paz esteja connosco’”, afirma.

O novo bispo faz também questão de saudar quem está destacado em missões internacionais, por estarem “não só em nome, em prol da paz”, mas por representarem Portugal “nos seus valores e na sua fé na liberdade, na paz e na justiça”. E não esquece os capelães militares, lembrando-lhes que este é um ano especial. “Somos todos colaboradores uns dos outros, em ordem ao crescimento do Reino de Deus. Estamos no ano missionário, o que significa que a nossa ação é em ordem à missão”, afirma na mensagem, em que chama ainda a atenção para Sínodo dos Bispos que está a terminar em Roma. “É o Sínodo pelos jovens e o discernimento vocacional, o que significa que é um apoio e um auxilio que a Igreja nos está a dar para desempenharmos a nossa missão de evangelização, junto e com os jovens”.

D. Rui Valério deixa ainda um agradecimento ao Patriarcado de Lisboa, à paróquia da Póvoa de Santa Adrião, que o acompanhou “antes de mais no meu crescimento espiritual”, e também à congregação religiosa a que pertence, os Missionários monfortinos, “não só pelo património espiritual que continuamos a preservar e a viver, mas também por aquele clima de fraternidade, por aquele testemunho de pobreza evangélica, a exemplo de São Luís Maria de Montfort, em que nós nos confortarmos e nos motivamos uns aos outros”.

“A ordenação episcopal de D. Rui Valério vai decorrer no dia 25 de novembro, no Mosteiro dos Jerónimos, juntamente com a ordenação de D. Daniel Henriques, novo bispo Auxiliar de Lisboa", informa ainda o Patriarcado de Lisboa.

De missionário da misericórdia a bispo das Forças Armadas

Rui Manuel Sousa Valério nasceu na véspera do Natal de 1964, em Urqueira, concelho de Ourém. Com 12 anos, entrou no seminário Monfortino, em Fátima, e foi aluno dos 5.º ao 12.º anos no Centro de Estudos de Fátima.

Em 1984, ingressou no noviciato montfortano em Santeramo-in-Colle, Bari, Itália. Fez a primeira profissão religiosa a 6 de setembro de 1985 e professou os votos perpétuos cinco anos depois, a 6 de outubro de 1990. Foi ordenado sacerdote em Fátima, em Março de 1991.

Estudou, em Roma - filosofia, na Universidade Lateranense, e teologia, na Universidade Gregoriana. Em 1995/96, frequentou um curso de espiritualidade missionária no Centre Internacional Monfortain, em Leuven, na Bélgica, e, em 97, iniciou o doutoramento em teologia na Universidade Católica Portuguesa.

O meio militar não lhe é propriamente estranho, já que foi Capelão do Hospital da Marinha, em 1992 e 1993, e na Escola Naval, de 2008 a 2011, altura em que ficou responsável pela paróquia da Póvoa de Santo Adrião, no Patriarcado de Lisboa, onde se encontrava atualmente, e por onde já tinha passado entre 1996 e 2001.

Antes tinha servisdo nas paróquias do concelho de Castro Verde, na diocese de Beja, primeiro como coadjutor, de 1993 a 95, e, depois, como pároco, entre 2001 e 2007.

D. Rui Valério é, há vários anos, membro do Conselho da Delegação Portuguesa dos Missionários Monfortinos. Em 2016, o Papa escolheu-o para ser um dos “missionários da misericórdia”, durante o Jubileu da Misericórdia.

Este sábado, 27 de outubro, foi nomeado “Ordinário Castrense (bispo da Diocese das Forças Armadas e das Forças de Segurança)”, em substituição de D. Manuel Linda, agora bispo do Porto, mas que se mantém como Administrador Apostólico até à tomada de posse do seu sucessor.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.