A+ / A-

Filme "Fátima" já roda em Cidadelhe. "A gente fazia isto o resto da vida", dizem os figurantes

24 out, 2018 - 12:00 • Liliana Carona

A pequena povoação está transformada numa verdadeira Hollywood, pelo menos, até ao final do mês.
A+ / A-

Em Cidadelhe já não entra quem quer. A aldeia rupestre do concelho de Pinhel, está com segurança apertada, para que nada perturbe as filmagens da longa metragem “Fátima”. Mas porque foi escolhida Cidadelhe? “Porque tem uma característica arquitetónica única, as ruas são como há 200 anos e também a posição de cima de um monte permite ter boa luz, tem características perfeitas para ser a localização do filme”, realça o produtor Giuseppe Cioccarelli.

Mas não é só em Cidadelhe que se filma esta longa metragem. O produtor recorda outros locais por onde já passaram os trabalhos. “Já gravámos a missa do centenário de Fátima celebrada pelo Papa Francisco, há ainda gravações em Sesimbra, Tomar e Tapada de Mafra”, revela.

Os jornalistas não puderam entrevistar os atores principais, apenas falar com os figurantes, gentes da região da Guarda. Alexandrina Martins, 76 anos, desempenha o papel de peregrina.

“É a primeira vez, não sabia a mínima ideia do trabalho que isto dava, mas o que isto é de bom, é novo para nós”, assegura.

Também Edite Marques, 81 anos, é peregrina. “Vínhamos de qualquer maneira, fazia isto para o resto da vida, até chego a chorar”, assume comovida. Para Carlos Campos, 72 anos, vai todos os anos a pé a Fátima, não foi difícil vestir a pele de peregrino. “Nunca tinha feito cinema, é uma experiência enriquecedora e estou a fazer aquilo que faço há 12 anos, sou peregrino de Guarda a Fátima, são sempre seis dias, todos os anos”.

Mas nem todos os figurantes são do concelho de Pinhel. David Correia, 38 anos, é responsável pelos animais. Trouxe uma mula de Mafra. “É cansativo, mas gosto muito de ajudar os atores, ensiná-los a conduzir os animais, de todos os filmes que fiz, este é o mais trabalhoso”, garante David.

O filme que recorda as aparições aos três pastorinhos vai ser gravado em inglês, com muita pós-produção e ainda não há data para estreia.

Sónia Braga, Goran Visnjic, Joaquim de Almeida, e Lúcia Moniz são alguns dos nomes do elenco. O projeto foi desenvolvido pela Origin Entertainment e o argumento foi escrito pelo realizador Marco Pontecorvo e Valerio D’Annunzio, com base na história de Barbara Nicolosi.

“Montamos um elenco de nomes reconhecidos internacionalmente com apelo para um público global, o que é a intenção do projeto,” diz Stefano Buono fundador da Elysia Produc5ons e um dos produtores do filme.

Os três pastorinhos vão ser representados por Stephanie Gil, Alejandra Howard e Jorge Lamelas. “A história de Fátima é única por que ela transcende a religião e toca os corações de todas as pessoas, independente de suas crenças,” diz Rose Ganguzza, outra das produtoras. “O apelo universal da história nos reconecta com a nossa própria humanidade e nos faz acreditar que milagres podem acontecer.”

A produção conta com mais de 150 pessoas por dia, 70 atores portugueses, 2500 figurantes portugueses e 200 animais. A longa metragem gravada em Portugal, tem colaboração com o Instituto de Cinema e Audiovisual e o Ministério de Turismo.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.