A+ / A-

​Multinacional francesa instala-se em Portugal para estar junto dos cérebros portugueses

23 out, 2018 - 11:06

Empresa quer formar e dar emprego a 120 especialistas.
A+ / A-

É uma equação diferente do habitual. A Voltalia tem naturalidade francesa, mas percebeu que alguns dos melhores cérebros a trabalhar a energia solar estão em Portugal. Em vez de os levar, instalou-se por cá e inaugura, em breve, no Porto, um "Centro de Competências" para a energia fotovoltaica.

“Queremos os melhores a trabalhar com os melhores e é à procura dos melhores que nós vamos estar no mercado ativamente“, diz à Renascença o diretor de comunicação da empresa, José Carlos Amador.

“Os nossos engenheiros são bons, são muito bons. Nós damos cartas em todos o mundo e com a abertura do novo centro em Portugal onde nós queremos a proximidade com a academia nós vamos ainda enriquecer mais a nossa equipa com portugueses. A ideia é formar pessoas, nós vamos ter uma proximidade grande com a academia”, explica Amador, acrescentando que a Faculdade de Engenharia do Porto “será um dos primeiros alvos da Voltalia”.

De acordo com a empresa, o objetivo é formar e dar emprego a mais 120 especialistas.

Mas não foi só pelos cérebros portugueses que a empresa decidiu instalar-se em Portugal.

“Portugal é um dos países da europa com a melhor insolação, desde há muito tempo é conhecido e reconhecido que Portugal está a fazer um trabalho excelente na área das renováveis. Portugal está estrategicamente colocado para conseguir dar resposta aquilo que é Europa, para. Africa e para a América Latina”, remata.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.