A+ / A-

Leigos para o Desenvolvimento apelam ao voluntariado

22 out, 2018 - 07:00 • Ana Lisboa

Esta iniciativa visa recrutar voluntários interessados numa experiência missionária em África e em Portugal durante um período mínimo de um ano.
A+ / A-

Esta iniciativa visa recrutar voluntários interessados numa experiência missionária em África e em Portugal durante um período mínimo de um ano.

Sobe o lema “Queres ser voluntário? Não percas a oportunidade”, os Leigos para o Desenvolvimento realizam até 25 de outubro sessões de apresentação em vários pontos do país.

A iniciativa serve para “dar a conhecer a nossa proposta de voluntariado, que é um voluntariado de longa duração, ou seja, implica uma permanência no terreno de, no mínimo, um ano para as nossas missões em África e em Portugal. O objetivo destas sessões é apresentar a organização, o nosso trabalho, quem somos, o que fazemos e também o perfil de voluntário que nós procuramos”, explica Rita Fonseca, responsável pela comunicação dos Leigos.

Quanto ao perfil do voluntário que procuram, “são pessoas com idades compreendidas entre os 21 e os 40 anos no caso da missão em África e 45 anos no caso da missão em Portugal. Os nossos voluntários devem ter já uma licenciatura, se não, uma experiência profissional relevante que também depois os ajude na experiência de voluntariado que vão realizar”.

Estas sessões dos Leigos estão a decorrer até ao dia 25 de outubro em Évora, Aveiro, Braga, Coimbra, Viseu, Porto e Lisboa.

Não é preciso fazer inscrição, basta aparecer nos locais onde decorrem estas apresentações, que são também uma oportunidade para ouvir testemunhos de quem já passou por uma experiência destas.

Antes de partirem em missão, os candidatos “fazem formação durante aproximadamente um ano. E esse tempo de formação é mesmo um tempo para as pessoas conhecerem a organização, perceberem se de facto gostariam de partir numa experiência missionária de voluntariado, perceber se também se identificam com a nossa organização, com os nossos valores, com os nossos princípios, com a nossa forma de trabalhar”.

Esta organização católica trabalha há 32 anos em prol do desenvolvimento em países de expressão portuguesa. Está presente em Moçambique, Angola e S. Tomé e Príncipe. E por cá têm uma missão na Caparica/Pragal, no concelho de Almada.

Desenvolve projetos nas áreas do emprego, empreendedorismo, educação e formação, entre outros. Realiza ainda trabalho pastoral nas comunidades locais.

Beneficiam dos seus programas 50 mil pessoas por ano. E já partiram em missão mais de 400 voluntários.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.