A+ / A-
I Liga

Fábio Cardoso sabe que o Santa Clara não se pode deslumbrar com o bom arranque

12 out, 2018 - 18:15

A equipa açoreana está num excelente sexto lugar do campeonato, na época de subida à I Liga. O central escolhe o espírito de grupo como chave para o sucesso.
A+ / A-

Fábio Cardoso escolhe o grupo como a chave para o grande início de época do Santa Clara que, apesar de recém-promovido, encontra-se no sexto lugar do campeonato. O central português reconhece que os açoreanos poderão sonhar com objetivos mais altos que a manutenção, mas sem deslumbramento e só depois de alcançarem a meta inicial.

"Primeiro, para mudar [o objetivo], temos de o alcançar. Estamos longe disso, portanto temos de pensar jogo a jogo, manter-nos focados e não nos deixarmos deslumbrar pelo bom momento que estamos a passar, porque sabemos como é que é o futebol e as coisas podem mudar. Vamos é trabalhar para que isso não aconteça e, se conseguirmos atingir a manutenção o mais rapidamente possível, claro que depois vão ser traçados outros objetivos", refere o central, em entrevista a Bola Branca.

O segredo para o grande arranque "é o grupo", diz Fábio Cardoso. O plantel é "muito unido" e isso vê-se dentro de campo, defende o central: "Estamos uns pelos outros. É como a expressão, damos a vida uns pelos outros. Quando há dias em que as coisas não correm bem, como já nos aconteceu contra o Portimonense fora [empate por 2-2], por exemplo, lutamos e nunca viramos a cara à luta e vamos até ao fim".

A arte do golo constrói-se com trabalho

Fábio Espinho leva dois golos em sete jogos, esta época, apenas menos um que o melhor marcador do Santa Clara, Fernando Andrade, que tem três. Não tem fama de central goleador, mas trabalha para a ter.

"Tenho vindo a trabalhar muito. Já na formação tive a sorte de marcar alguns golos, no futebol profissional não tinha muitos. Mas sim, claro que é uma coisa que eu tenho vindo a trabalhar. Era um dos aspetos que eu achava que, para o meu jogo ficar mais completo, precisava de melhorar. Felizmente, tive a sorte de as oportunidades aparecerem e de eu as aproveitar. Espero marcar mais alguns", assinala o defesa.

Fábio não tem uma meta de golos, para esta temporada, até porque valoriza mais o coletivo. Contudo, tem esperança em marcar mais.

"Tento não pensar muito nisso. Claro que, depois de acontecer, penso sempre que vou marcar, mas o mais importante é que a equipa marque e que a gente não sofra e consiga atingir os objetivos. Porque se nós conseguirmos atingir os nossos objetivos coletivos, individualmente vamos todos sobressair, como está a acontecer", frisa Cardoso.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.