A+ / A-

Papa aceita resignação do arcebispo de Washington

12 out, 2018 - 12:15 • Ângela Roque

O cardeal Donald Wuerl foi o sucessor de Theodore McCarrick. Negou sempre ter conhecimento dos alegados abusos praticados pelo anterior responsável pela diocese, mas tem sido criticado pela forma como geriu outros casos de abuso.
A+ / A-

O Papa Francisco aceitou a renúncia do arcebispo de Washington, anunciou esta sexta-feira o Vaticano.

O Cardeal Wuerl, que completará 78 anos em novembro, já tinha apresentado a sua resignação – como é próprio, há três anos, quando fez 75. Mas, como acontece muitas vezes quando se trata de arcebispos, o Papa não aceitou de imediato a sua saída.

Em setembro, já em plena crise na Igreja americana por causa da denúncia dos abusos alegadamente praticados pelo seu antecessor (o agora ex-cardeal Theodore McCarrick), Wuerl foi ao Vaticano e renovou o seu pedido de resignação ao Papa, que agora foi aceite.

Na carta que nessa altura dirigiu aos padres da arquidiocese de Whashington, o cardeal Wuerl afirmou que a decisão de ir a Roma tinha como objetivo “sarar as feridas dos sobreviventes que tanto sofreram e dos fiéis que nos foram confiados e que também sofrem com a vergonha destes atos terríveis, tendo dúvidas sobre a capacidade de liderança do seu bispo”.

“Tornou-se claro”, continuou o cardeal, que “uma decisão da minha parte, mais cedo ou mais tarde, seria um fator essencial para que a Igreja arquidiocesana possa ultrapassar este momento”.

Donald Wuerl sucedeu diretamente a McCarrick em 2006, por escolha de Bento XVI, mas negou sempre ter tido conhecimento dos casos suspeitos que envolvem o antecessor, que por decisão do Papa foi entretanto retirado do colégio cardinalício e remetido a uma vida de retiro e oração.

O relatório sobre os abusos, divulgado em agosto, considera que Donald Wuerl não agiu corretamente na gestão de outros alegados casos de abuso quando foi bispo de Pittsburg.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.