A+ / A-

Autarca de Macedo de Cavaleiros voluntário no bloco operatório

12 out, 2018 - 11:40 • Olímpia Mairos

Às segundas-feiras veste a bata e entra no bloco operatório para realizar operações programadas. É um regresso à medicina, mas de forma gratuita.
A+ / A-

Quando se candidatou à Câmara de Macedo de Cavaleiros pelo Partido Socialista, Benjamim Rodrigues acalentava o desejo de, caso conquistasse a autarquia poder exercer simultaneamente medicina, mas a lei, entretanto, mudou e não lhe permitiu acumular as funções de autarca com as de cirurgião ortopédico.

Sem outra saída, Benjamim Rodrigues suspendeu a sua atividade como médico ortopedista e dedicou-se à vida de autarca.

E assim iria continuar, não fosse o desafio lançado ao autarca médico pela Unidade Local de Saúde do Nordeste (ULSNE). É que, com a “saída de alguns profissionais, uns para o litoral, outros por reforma, outros por baixa médica, ficou um dos horários do bloco operatório a descoberto”.

Benjamim Rodrigues aceitou o desafio e às segundas-feiras veste a bata e entra no bloco operatório para realizar operações programadas. É um regresso à medicina, mas de forma gratuita.

“Estamos a tirar partido da minha capacidade como cirurgião, ao mesmo tempo que eu mantenho alguma atividade, para não perder a mão, como é hábito dizer-se, e fazemos aqui uma dupla tarefa: faço um trabalho social em prol da população, consigo ajudar nos tempos operatórios do hospital e mantenho um pouco a minha atividade”, conta o médico autarca à Renascença.

O médico explica que “é um trabalho dois em um, colaboro com a ULSNE e, ao mesmo tempo, consigo responder aos anseios de alguma da população de forma gratuita, sem auferir qualquer vencimento”.

Estima-se que, ao longo de um ano, Benjamim Rodrigues possa chegar às 100 cirurgias e, assim, ajudar a reduzir as listas de espera. O mais importante, diz, é “poder ter 100 utentes mais felizes, com os seus problemas resolvidos”.

O regresso ao bloco operatório “foi muito agradável e emotivo” e o médico cirurgião não esconde que agora se sente “mais realizado” como pessoa.

“Tenho a oportunidade de fazer um pouco uma atividade que me agrada, à qual dediquei toda a minha vida, como estudante e como profissional, e corresponder ao nosso objetivo que é estar ao serviço da população, dos utentes e poder ajudar aqueles que sofrem”.

O trabalho na Câmara Municipal fica, garante, assegurado, sem qualquer prejuízo.

“No horário em que acontecem as operações tinha atribuída uma reunião semanal com os elementos do executivo. Já decidimos fazê-la num horário noturno ou ao final da tarde, se for possível”, explica o presidente da autarquia de Macedo de Cavaleiros.

Benjamim Rodrigues integrava o quadro de médicos ortopedistas da ULSNE, no Hospital de Macedo de Cavaleiros. Um serviço já por diversas vezes distinguido pela Entidade Reguladora da Saúde com o nível máximo de excelência clínica.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.