A+ / A-

Der Spiegel desmente advogado de CR7: "Documentos são autênticos"

11 out, 2018 - 12:48

Representante legal de Cristiano Ronaldo disse que o acordo de confidencialidade entre as duas partes existiu, mas foi alterado e fabricado por um "hacker" que vendeu a informação.
A+ / A-

A revista alemã "Der Spiegel" negou as afirmações do advogado de Cristiano Ronaldo, que diz que o acordo de confidencialidade entre CR7 e Mayorga foi alterado e falsificado.

"Não temos razão para acreditar que os documentos não são autênticos. Analisámos meticulosamente todos os documentos e os mesmos foram legalmente revistos", num comunicado reproduzido através da Agência Lusa.

Recorde-se que Peter S. Christiansen, advogado de Cristiano Ronaldo, disse na quarta-feira que o acordo de confidencialidade assinado pelo jogador da Juventus e Kathryn Mayorg, tornado público pelo "Der Spiegel", foi alterado por um "hacker", que roubou o documento e alterou-o:

"Este 'hacker' tentou vender a informação, e um órgão de comunicação publicou o documento roubado, sendo que grande parte foi alterada e completamente fabricada. Novamente, a posição de Cristiano Ronaldo é que o que aconteceu em 2009 em Las Vegas foi completamente consensual".

"Cristiano Ronaldo não nega que fez um acordo, que, de forma alguma, representa uma confissão de culpa. Cristiano Ronaldo limitou-se a seguir os conselhos de quem o representa de forma por fim a uma acusação absurda, e para evitar precisamente o que estamos a testemunhar agora", pode ainda ler-se.

A polícia de Las Vegas anunciou a reabertura do caso da suposta violação de Cristiano Ronaldo a Kathryn Mayorga.

Numa entrevista à revista alemã, a cidadã norte-americana afirma que Ronaldo a terá forçado a fazer sexo na casa de banho da suite em que estava hospedado em Las Vegas, no verão de 2009, quando se transferiu do Manchester United para o Real Madrid.

Mayorga afirma que, três meses depois do sucedido, decidiu assinar um acordo de confidencialidade com Ronaldo e recebeu 375 mil dólares (cerca de 325 mil euros) em troca do seu silêncio, acordo tornado publico pela revista alemã.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • o tal
    11 out, 2018 14:38
    Ah, fiquem lá com os vossos retangulos de comentários vazios. Não merecem outra coisa
  • Filipe
    11 out, 2018 évora 13:38
    Realmente as violações de terceira categoria nunca recebem 300 mil euros e talvez até exista na Relação ou mesmo todos os tribunais em Portugal ministrados pelo macho Juiz , absolvição pela normalidade da situação .
  • Ora aí está!
    11 out, 2018 13:14
    Comentar para quê? Aqui escreve-se e as palavras são apagadas pela renascença. Esta sra. ao serviço, sonia santos, como paulino coelho, quando os comentários não são do agrado, nunca mais os vemos. Não sei se eles são responsáveis, mas o estranho é que é a maior parte das vezes com estas duas figuras...Olhe já agora esconda mais este, para ninguém saber do que se passa aqui. Aqui a liberdade para se falar só na ponta de um canudo....