A+ / A-

Salário mínimo em Espanha sobe para os 900 euros

11 out, 2018 - 11:07

Acordo entre o governo espanhol e o Podemos permite um aumento de 164,10 euros no salário mínimo espanhol.
A+ / A-

O governo espanhol chegou a acordo com o Podemos para aumentar o salário mínimo para 900 euros por mês. É um passo importante para que o governo socialista, que não tem maioria no Parlamento, consiga aprovar o Orçamento do Estado (OE) para 2019.

O acordo sobre o OE 2019 foi assinado esta quinta-feira. Desta forma, o salário mínimo em Espanha terá um aumento de mais de 22%, passando dos atuais 735,90 euros para 900 euros já no próximo ano. No final do mês, os trabalhadores vão receber mais 164,10 euros.

O primeiro-ministro espanhol e líder do PSOE, Pedro Sanchez e o líder do Podemos, Pablo Iglesias, estiveram esta madrugada reunidos para fechar o acordo sobre o Orçamento do Estado para o próximo ano. O valor alcançado resulta de cedências de ambas as partes. Sanchez defendia a subida do salário mínimo para os 850 euros, enquanto o Podemos exigia mil euros.

Do documento assinado resulta ainda uma subida de 3% para as pensões mínimas e não contributivas.

Destaque também para o acordo para impor 1% do Imposto de Património a fortunas superiores de 10 milhões de euros.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Jorge
    12 out, 2018 Seixal 16:33
    Coitados dos empresários espanhóis, agora vão todos à falência ou então emigram para Portugal e aproveitam a esmola dos 600 euros que o - presidente da CIP - António Saraiva defende com unhas e dentes para 2019, sempre são menos 300 euros por mês. É uma vergonha quando mais de um quinto dos trabalhadores em Portugal ganha o SMN. Trabalham e são pobres.
  • Filipe
    11 out, 2018 évora 13:48
    Em Portugal para o Governo aumentar 20 euros um trabalhador é preciso que os Patrões darem consentimento e que o Governo lhe dê 25 euros por cada trabalhador . Vejamos , maior parte das empresas que tem vivido e sabem viver hoje na mama do Estado desde a entrada na CEE , conseguem implementar programas de ajudas a fundo perdido sempre que aparecem para daí conseguirem terem os trabalhadores praticamente pagos por esses fundos e o resto é lucro no bolso . Deixem-se de mentir ao povo ! Uma coisa era antes da outra Senhora outra é a realidade hoje . Basta ver até a quantidade de euros a fundo perdido dados de mão beijada para fazerem Hotéis em Portugal e logo conseguem perceber que o que aparece em Portugal ou é pago pelo Estado ou é pago pelos Europeus , os empresários Portugueses sempre adoraram mamar , aprenderam com os Agricultores . É só verem ... " comparticipação comunitária de x " ... quando depois os projetos astutamente inflacionados para darem lucro ...