A+ / A-

​“Hacker” vai fazer ataque em Lisboa. Pode assistir na Click Summit

10 out, 2018 - 16:46 • Cristina Nascimento

Quinta edição desta conferência sobre marketing digital e vendas online vai discutir o legado digital, as novas tendências sobre anúncios nas redes sociais.
A+ / A-

Cerca de 500 pessoas participam esta quinta e sexta-feira na quinta edição da Click Summit, uma conferência dedicada ao marketing digital e às vendas online. A edição deste ano acontece no Pólo Tecnológico de Lisboa e tem como principal novidade dar atenção às questões da área da sociologia.

“Tentámos aliar aquelas que são as questões mais prementes relacionadas com a proteção de dados, sobre como é que gerimos nós queremos o nosso legado digital depois de morrermos, questões de ética e inovação, ou seja, os dados que nós cedemos como é que são tratados. Isto sempre à questão de campanhas ligadas ao marketing performance”, explica à Renascença Frederico Carvalho, fundador e organizador do evento.

Entre as dezenas de oradores que marcam presença, Frederico Carvalho destaca, por exemplo, Albert Rodas, da empresa Sophos. “Vai fazer em direto um ataque de cibersegurança, para as pessoas perceberem coo é que acontece estes ataques piratas”, revela. Carvalho destaca ainda o painel que vai reunir elementos da PSP e da Polícia Judiciária que vão falar sobre o “lado negro das redes sociais”.

De acordo com os dados disponibilizados pela organização do evento, os bilhetes - que custavam 330 euros - esgotaram. Os participantes são sobretudo profissionais da área do digital, com uma média de 35 anos, diretores executivos de empresa, diretores de marketing e diretores de vendas.

“No ano passado, tivemos cerca de 750 participantes e fizemos a Click Summit na Aula Magna. Mas este ano quisemos voltar ao formato com 500 pessoas, para garantir a proximidade e o networking”, remata Frederico Carvalho.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.