A+ / A-

Ex-chefe de gabinete do ministro da Defesa admite que recebeu documento sobre encobrimento em Tancos

10 out, 2018 - 14:55

“A documentação verdadeira foi entregue hoje no início da tarde, no DCIAP, pelos serviços do meu advogado”, disse o tenente-general Martins Pereira, à RTP.
A+ / A-

Veja também:


O tenente-general Martins Pereira, ex-chefe de gabinete do ministro da Defesa, Azeredo Lopes, admite que recebeu documento sobre a recuperação do material militar furtado na base de Tancos, avança a RTP.

O ex-chefe de gabinete tinha confirmado, anteriormente, que esteve reunido com o coronel Luís Vieira, na altura diretor da Polícia Judiciária Militar (PJM), e com o major Vasco Brazão, porta-voz da PJM, em novembro do ano passado.

Agora adianta à RTP que, nessa altura, recebeu documentação sobre a operação de recuperação das armas.

“A documentação verdadeira foi entregue hoje no início da tarde, no DCIAP, pelos serviços do meu advogado”, disse o tenente-general Martins Pereira.

Numa declaração à agência Lusa, a 4 de outubro, o militar tinha confirmado a reunião, mas disse que nunca percebeu qualquer "indicação de encobrimento de eventuais culpados do furto de Tancos".

O ex-chefe de gabinete do ministro Azeredo Lopes acrescentou que, "nessa ocasião ou em qualquer outra", não lhe "foi possível descortinar qualquer facto que indiciasse qualquer irregularidade ou indicação de encobrimento de eventuais culpados do furto de Tancos".

O general adiantou, também, que comunicou nesse dia, através do seu advogado, ao Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP), que está "disponível para ser ouvido, no âmbito deste processo", sobre aquilo de que tem conhecimento.

Tópicos
Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.