A+ / A-
FC Porto

Agente de Diogo Leite desmente acusação do Monchengladbach

10 out, 2018 - 11:22

Max Eberl, diretor desportivo do Monchengladbach, acusou Diogo Leite de usar a proposta do clube alemão para "conseguir um contrato melhor no FC Porto".
A+ / A-

O agente de Diogo Leite desmentiu as afirmações de Max Eberl, diretor desportivo do Borussia Monchengladbach, que acusou o defesa do FC Porto de utilizar o interesse do emblema alemão para "conseguir um melhor contrato" com os dragões.

Em declarações ao jornal "O Jogo", António Araújo, representante do central português, desmentiu as declarações do dirigente alemão:

"Não é verdade que o Diogo tenha usado esse interesse para conseguir tirar proveitos na renovação com o FC Porto. Aliás, ele recusou um contrato muito bom dos alemães para ficar, e também tinha propostas muito boas de clubes ingleses".

Ainda assim, o agente português confirmou o interesse e proposta do Monchengladbach: "É verdade que fizeram uma proposta de 15 milhões de euros, que era a cláusula de resisão, e é verdade que o Diogo Leite não quis sair do FC Porto, porque acredita muito no projeto do clube, acreditou no treinador e decidiu ficar".

Recorde-se que Max Eberl, diretor desportivo do Monchengladbach, em declarações à revista "Kicker", deixou fortes acusações ao central de 19 anos:

"Quando pensámos num central no início da temporada, pensámos que o Diogo Leite seria a nossa solução. Falámos com ele, com o agente e com o pai, e estavamos prontos para bater a cláusula de transferência".

"O Diogo nunca considerou seriamente uma mudança e senti que fomos só um brinquedo para ele. Usou-nos para conseguir um contrato melhor no FC Porto", completa.

Diogo Leite foi eleito o melhor defesa da I Liga no mês de agosto e foi, entretanto, relegado à condição de suplente, perdendo o lugar para o brasileiro Éder Militão. O central alinhou nas últimas duas partidas pela equipa B dos dragões.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.