A+ / A-

Presidente da República realça que Forças Armadas são motivo de orgulho

09 out, 2018 - 18:11

Declaração de Marcelo Rebelo de Sousa surge num contexto de grande polémica para a instituição militar.
A+ / A-

O Presidente da República defendeu esta terça-feira que as Forças Armadas constituem "motivo de orgulho para os portugueses" e exortou a que todos, dos menos aos mais responsáveis, contribuam para o sublinhar todos os dias.

"Os portugueses reveem-se e confiam nas suas Forças Armadas. A relevância da sua missão, os seus valores e princípios, o firme sentido do dever, e o seu exemplar desempenho na defesa da nossa soberania, prestigiam Portugal e constituem motivo de orgulho para todos os portugueses", afirmou Marcelo Rebelo de Sousa.

Um orgulho que, acrescentou, "todos, dos menos aos mais responsáveis devem contribuir para sublinhar dia após dia", realçou o Comandante Supremo das Forças Armadas no seu discurso, numa cerimónia na Base Aérea do Montijo, após condecorar a Esquadrilha de Helicópteros da Marinha, inaugurada em 1993 por Aníbal Cavaco Silva, então primeiro-ministro.

Cavaco Silva, na qualidade de "pai da esquadrilha" como se lhe dirigiu Marcelo Rebelo de Sousa no momento da "foto de família" após a condecoração, mereceu lugar de destaque na cerimónia, ao lado do Presidente da República, com quem trocou cumprimentos.

A Esquadrilha de Helicópteros da Marinha foi agraciada com a medalha de membro honorário da Ordem do Infante D. Henrique, pelos seus 25 anos ao serviço da Marinha, registando 23 mil horas de voo em missões nacionais e internacionais.

Os elogios de Marcelo Rebelo de Sousa surgem numa altura em que a instituição militar está envolto em várias polémicas, incluindo o furto, e posterior reaparecimento, de armas em Tancos, a perda de uma caixa de munições na via pública e, conforme notícia avançada esta terça-feira, o alegado aluguer a turistas de casas do Estado por parte de militares.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.