A+ / A-

Bolsonaro. “Se não fosse o sistema eletrónico, já haveria um Presidente do Brasil"

08 out, 2018 - 02:45 • Carlos Calaveiras

Candidato de extrema-direita ficou à beira do triunfo já este domingo, mas vai ter de voltar às urnas no dia 28 contra Fernando Haddad.
A+ / A-
Numa reação pelo Facebook, Bolsonaro diz que Haddad “tem muitos milhões” para gastar em campanha
Numa reação pelo Facebook, Bolsonaro diz que Haddad “tem muitos milhões” para gastar em campanha

Jair Bolsonaro, candidato vencedor da primeira volta das eleições brasileiras com 46% dos votos, apelou aos seus eleitores para continuarem mobilizados nas três semanas que faltam até à segunda volta, prometeu um discurso mais moderado, mas deixou fortes críticas ao voto eletrónico e ao legado do PT no Brasil.

Numa declaração de casa, via Facebook, Bolsonaro culpou os problemas do voto eletrónico que, segundo ele, o impediram de ganhar já este domingo as eleições. “Se não fosse o sistema eletrónico, já haveria um Presidente do Brasil neste momento”, disse.

Acusou o Partido dos Trabalhadores, de Lula, Dilma e Haddad – o candidato contra quem vai concorrer no dia 28 – de ter milhões para gastar, depois de ter destruído várias empresas brasileiras, e lembrou que vai ser necessário “unir os cacos que o governo de esquerda deixou no passado”. “O Brasil está aí, à beira do abismo”, acrescentou.

Nesta declaração nas redes sociais, Jair Bolsonaro aproveitou ainda para defender o juiz Sérgio Moro e a operação “Lava Jato”.

“Devemos valorizar o que é nosso. Nós temos como mudar esta nação”, referiu.

O candidato de extrema-direita garante que o seu será “um Governo decente que trabalha para o seu povo”. “Juntos reconstruiremos o nosso Brasil”.

Terminou o discurso de vitória dizendo: “Acredito em Deus, acredito em vocês e acredito no nosso Brasil. Meus quase 50 milhões, muito obrigado mais uma vez. estamos juntos. Até a vitória, se Deus quiser”.

Foi aplaudido por familiares e apoiantes que estavam na sala de onde foi realizado o direto.

Bolsonaro venceu a primeira volta das presidenciais brasileiras com 46,13% dos votos, contra 29,13% de Haddad.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • VIRIATO
    08 out, 2018 CONDADO PORTUCALENSE 17:57
    Vocês podem censurar os meus comentários...mais vai ser até um dia...e quando chegar esse dia, vão paga-las...com juros. Jornaleiros sem classe, é a única coisa que vos resta de atribuição. Porque o nacionalismo vai ser o único regime em que vai restar a esperança da humanidade. Viva o PARTIDO NACIONAL RENOVADOR e VIVAS OS VERDADEIROS PORTUGUESES, NÃO OS TRAIDORES À PÁTRIA.
  • VIRIATO
    08 out, 2018 CONDADO PORTUCALENSE 13:15
    O candidato da extema direita....uau...os jornaleiros nem sabem o que é ser de extrema direita, mas os directores de informação mandam-lhes colocar isto para adjectivar a pessoa em causa numa tentativa de deformar e influenciar quem lê sem saber o que está em causa. Jair Bolsonaro um "perigoso" nacionalista que quer libertar o povo de uma democracia mentirosa e que caminha a passos largos para se "venezuelar" e perpétuar o P.T. como partido ditatorial. Tenham vergonha jornaleiros...mais, é uma vergonha que ontem, como pressentindo a vitória de jair Bolsonaro, nem se viu nas tv´s, directos sobre estas eleições. Fica-vos bem a vossa pseudo isenção....gente com a vela fraquinha.