A+ / A-
Fátima

Bispo de Hiroshima vai presidir à peregrinação de 12 e 13 de outubro

02 out, 2018 - 12:02 • Ângela Roque

Presença de D. Alexis Shirahama coincide com aumento anual de peregrinos do continente asiático.
A+ / A-

A peregrinação de outubro, a última peregrinação internacional aniversária do ano a Fátima, vai ser presidida pelo bispo de Hiroshima.

A vinda do bispo nipónico à Cova da Iria tinha já sido anunciada oficialmente pelo bispo de Leiria-Fátima, em fevereiro deste ano. Na altura, D. António Marto revelou que o convite para que D. Alexis Mitsuru Shirahama presidisse à peregrinação surgiu após um primeiro contacto entre ambos, no âmbito de pedido de relíquias de S. Francisco e S. Jacinta Marto.

Esta terça-feira, em comunicado, o Santuário de Fátima explica que a presença de D. Alexis “materializa a atenção” que tem sido prestada ao continente asiático, “proveniência de onde se tem registado um aumento anual de peregrinos”, e vai “ao encontro do ‘eixo para onde o mundo cristão caminha’”, como sublinhou o cardeal António Marto.

O bispo de Hiroshima vai participar na conferência de imprensa marcada para dia 12 de outubro, durante a qual o bispo de Leiria-Fátima fará um balanço do ano pastoral de 2017-2018.

D. Alexis Shirahama, bispo de Hiroshima desde junho de 2016, nasceu a 20 de maio de 1962 na ilha japonesa de Nakadori e foi ordenado sacerdote em março de 1990.

Estudou até 1995 no Canadá e em França, tendo, no regresso ao país natal, em 2012, assumido o cargo de reitor do Seminário Católico do Japão. Em agosto deste ano, na evocação do bombardeamento atómico de Hiroshima e Nagazaki, em 1945, apelou ao “esforço global pela desnuclearização”, com uma referência particular ao entendimento entre as duas Coreias.

A peregrinação internacional aniversária de 12 e 13 de outubro evoca a última aparição de Nossa Senhora aos pastorinhos, em 1917, na qual pediu que ali se fizesse uma capela em Sua honra, e se continuasse a “rezar o Terço todos os dias”, conforme relata a vidente irmã Lúcia nas suas memórias.

Esta é a sexta peregrinação internacional aniversária deste ano pastoral, inserido no ciclo pós-centenário que propõe um itinerário de três anos e que pretende prolongar, aprofundar e consolidar os dinamismos criados durante o centenário das aparições.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.