A+ / A-

“Não tenho vontade de botar as vacas cá dentro. É que isto está muito lindo”

01 out, 2018 - 15:13 • Liliana Carona

Cáritas de Viseu reconstruiu meia centena de currais destruídos pelos fogos
A+ / A-

A Cáritas diocesana de Viseu apoiou a reconstrução de meia centena de currais, destruídos pelos fogos de outubro do ano passado.

Apesar de a inauguração oficial destes espaços estar agendada para o dia 15 de outubro, a Renascença acompanhou, esta segunda-feira, o presidente da Cáritas diocesana, Monteiro Marques, numa visita às obras agora concluídas, em Vouzela.

“Eu não vou botar aqui vacas. É que isto está muito lindo”, afirma Emília ao rodar a chave do curral que ainda cheira a cimento fresco. “Botas, que disseram que era para elas”, interrompe o marido, José Ribeiro, também ele estupefacto com a qualidade da obra. “Antigamente, já vivemos em sítios piores”, assume.

Quase parece uma casa de habitação, mas é o curral das 10 cabeças de gado, cuja reconstrução só foi possível com a ajuda da Cáritas de Viseu. José Ribeiro e Emília Laranjeira, 80 e 78 anos, respetivamente, não tinham dinheiro que chegasse para as obras de reconstrução do curral destruído pelos fogos do ano passado.

“Não tinha o dinheiro para fazer isto, queimaram-se as alfaias, as enfardadeiras, o pasto, e gastei os cinco mil euros de apoio do Estado”, conta José.

Além dos danos materiais, Emília conta que ainda não ultrapassou o trauma. “Isto dos fogos botou-me abaixo. Nunca mais voltei a ter saúde. Mas, agora, já estou mais contente porque isto ficou porreirinho.”

A burocracia exigida e a ausência de documentos referentes aos currais levou a que a Cáritas de Viseu apoiasse os agricultores nas habitações dos animais, num investimento de meio milhão de euros.

O presidente da Cáritas diocesana de Viseu, Monteiro Marques, explica que, “para terem mais apoios, além dos cinco mil euros, porque tinham que ter a escrita organizada e estar legalizados nas Finanças, estas pessoas não têm praticamente nada, dependem dos seus animais. Se estivéssemos aqui com demasiadas exageros, ainda hoje os estábulos continuavam queimados”, aponta.

"Muitos puseram em causa o apoio que a Cáritas estava a dar aos afetados pelos incêndios, mas, na diocese de Viseu, o dinheiro não ficou pelos corredores”, acrescenta Monteiro Marques, apoiado pelo presidente da Câmara de Vouzela, Rui Ladeira, que agradece o apoio prestado pela Cáritas no seu concelho, onde reconstruiu 20 currais.

Com 50 anos de casamento, José Ribeiro e Emília Laranjeira vão a começar a vida de novo. É uma história com final feliz para todos. Até os bichos: "Os animais, bem acolhidinhos, também ficam bem", sorri Emília.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • fanã
    03 out, 2018 aveiro 19:39
    Ohhhh......Ti Zé , as vaquinhas também tem direito a boa cama , até o leitinho vai saber melhor !!!!!