A+ / A-

Cristas preferia descida do IRS a aumentos na função pública

01 out, 2018 - 12:01

A 15 dias da apresentação do orçamento, a líder centrista disse compreender bem “o objetivo do Governo”.
A+ / A-

A presidente do CDS-PP preferia uma “descida progressiva e generalizada” do IRS para todos a um aumento salarial para a função pública no Orçamento do Estado do próximo ano, já admitido pelo primeiro-ministro.

“Gostaria de pensar que, sendo possível, e havendo folga, pensar numa baixa progressiva e generalizada do IRS para todos os portugueses, o que inclui a função pública, mas que inclui todos os outros”, afirmou Assunção Cristas, após uma visita ao bairro da Flamenga, Marvila, em Lisboa.

A 15 dias da apresentação do orçamento, a líder centrista disse compreender bem “o objetivo do Governo”, mas, se dependesse do CDS, a opção seria diferente.

Para Cristas, a “escolha passaria por algo que tivesse impacto em todas as famílias” e não apenas nos trabalhadores da administração pública.

Questionada sobre se este seria um orçamento feito a pensar nas eleições de 2019, Assunção Cristas deu uma resposta curta, com uma referência ao Governo de José Sócrates, em 2009, ano em que os funcionários públicos receberam um aumento de 2,9%.

“Em 2009 tivemos um orçamento assim, vamos ver como é este”, afirmou ainda, recusando fazer muitos mais comentários antes de conhecer o Orçamento do Estado, cuja entrega no parlamento está prevista para 15 de outubro.

Na sexta-feira, o primeiro-ministro admitiu um “aumento salarial efetivo” na função pública e previu um “bom orçamento” para 2019.

“Estamos a trabalhar, no quadro das negociações, para ver se há margem para podermos ir um pouco mais além e, para além do descongelamento das carreiras, poder haver, pela primeira vez em muitos anos, algum aumento salarial efetivo e não só reposições ou descongelamentos”, assinalou António Costa.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • fanã
    01 out, 2018 aveiro 18:45
    Mais um ovo................. Ou ; A Arte de querer impor todo o contrario do que fez quando fez parte do governo PAF !.......... Grande parte dos Portugueses tem boa memória . Se este actual Governo não presta..........estes restantes Artistas do hemiciclo , nada valem , senão para darem umas representações de Reality-show's irrisórios !
  • não sou otário
    01 out, 2018 coimbra 16:04
    Pois claro que uma ideia destas só pode vir de uma fascista. É sabido que baixando o IRS só é beneficiado aquele que tem ordenado chorudo e que regra geral nem faz coisa nenhuma, porque aquele que até nem paga IRS é o que trabalha e tem ordenado de MER ---da mas que tem de pagar o pão, leite e mais bens de consumo de primeira necessidade ao mesmo preço dos que têm ordenados e pensões monstruosas. IMAGINEM SÓ O QUANTO GANHARIA COM O ABAIXAMENTO DO IRS AQUELE BANQUEIRO QUE TEM MAIS DE 150 MIL EUROS DE PENSÃO POR MÊS ?! EU DISSE POR MÊS ! Eu tenho uma pensão de cerca de 470 euros e pago o pão e as batatas ao mesmo preço desse tal banqueiro e outros. Sra. Assunção, acredito que está bem protegida por essa gente, mas pela minha parte nem no parlamento estava.
  • não sou otário
    01 out, 2018 coimbra 16:01
    Pois claro que uma ideia destas só pode vir de uma fascista. É sabido que baixando o IRS só é beneficiado aquele que tem ordenado chorudo e que regra geral nem faz coisa nenhuma, porque aquele que até nem paga IRS é o que trabalha e tem ordenado de MER ---da mas que tem de pagar o pão, leite e mais bens de consumo de primeira necessidade ao mesmo preço dos que têm ordenados e pensões monstruosas. IMAGINEM SÓ O QUANTO GANHARIA COM O ABAIXAMENTO DO IRS AQUELE BANQUEIRO QUE TEM MAIS DE 150 MIL EUROS DE PENSÃO POR MÊS ?! EU DISSE POR MÊS ! Eu tenho uma pensão de cerca de 470 euros e pago o pão e as batatas ao mesmo preço desse tal banqueiro e outros. Sra. Assunção, acredito que está bem protegida por essa gente, mas pela minha parte nem no parlamento estava.