A+ / A-

Papa quer estonianos livres, mas livres a sério

25 set, 2018 - 15:28 • Aura Miguel , na Estónia, com Filipe d'Avillez

Depois da tirania soviética, o povo da Estónia deve agora sacudir o jugo do consumismo e entrar na verdadeira liberdade que só existe em união com Deus, diz Francisco.
A+ / A-
Papa quer estonianos livres, mas livres a sério
Papa quer estonianos livres, mas livres a sério

O Papa Francisco terminou a sua visita à Estónia com um apelo e um elogio à liberdade.

Num país que apenas se tornou independente com o fim da União Soviética, mas onde a esmagadora maioria da população se afirma não crente, Francisco desafiou os estonianos a procurar uma liberdade maior que a política.

O Papa começou por dizer que, ao contrário do que se possa pensar, a fé não implica a diminuição da liberdade. “Quando dizemos que somos cristãos, quando abraçamos um estilo de vida, fazemo-lo sem pressões, sem que isso seja uma troca na qual nós fazemos algo se Deus nos fizer qualquer coisa. Mas sobretudo sabemos que a proposta de Deus não nos tira nada; pelo contrário, leva à plenitude, potencializa todas as aspirações do homem.”

“Alguns consideram-se livres, quando vivem sem Deus ou separados d’Ele. Não se dão conta de que, assim, percorrem esta vida como órfãos, sem um lar para onde voltar”, insiste Francisco.

Aos seus anfitriões estonianos o Papa fez um desafio claro. “Vós não conquistastes a vossa liberdade para acabar escravos do consumo, do individualismo ou da sede de poder e domínio.”

Esta procura de liberdade em Deus pode ser feita individualmente, mas também como povo, diz o Papa, através da rejeição da lógica do poder e da violência. “Às vezes, alguns pensam que hoje a força dum povo se mede por outros parâmetros. Há quem fale com um tom mais alto e, quando fala, parece mais seguro, sem cedências nem hesitações; há quem junte, aos gritos, ameaças de armas, envio de tropas, estratégias... Esta é a pessoa que parece mais ‘firme’. Mas isto não é ‘buscar’ a vontade de Deus mas um acumular para se impor com base no ter. Esta atitude esconde em si uma rejeição da ética e, com ela, de Deus.”

Francisco terminou assim, com esta missa, as suas atividades públicas na Estónia, último ponto de passagem na sua viagem aos países bálticos.

O Papa regressa ainda esta noite a Roma.



A jornalista da Renascença Aura Miguel acompanha o Papa Francisco na sua Viagem Apostólica à Lituânia, Letónia e Estónia com o apoio da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa.


Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.