A+ / A-

PCP não vai desistir da luta pela descida do IVA na eletricidade

30 ago, 2018 - 22:18

Jerónimo de Sousa continua a negociar o Orçamento do Estado para 2019.
A+ / A-

O secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, garante que não vai desistir na luta pela descida do IVA na fatura da eletricidade para os consumidores.

Em declarações aos jornalistas à margem de uma visita à feira agrícola AgroSemana, na Póvoa de Varzim, o líder comunista lembrou que o seu partido "há muito tempo defende essa posição", considerando que "o próximo Orçamento de Estado seria uma boa altura para colocar a proposta em prática".

"Não vamos desistir, o processo de negociação do Orçamento de Estado tem de ser encarado no seu conjunto, mas há matérias em que vamos estar diretamente empenhados para que se concretize", apontou Jerónimo de Sousa, referindo-se a esta questão.

O secretário-geral do PCP disse ainda esperar que o executivo liderado por António Costa esteja também sensível à questão.

"Ao exemplo de outras matérias, em que parecia que o Governo do PS não queria dar o passo, a nossa intervenção e persistência acabou por levar a que muitas propostas fossem aceites", recordou.

Jerónimo de Sousa comentou ainda os dados divulgados hoje pelo Instituto Nacional de Estatística sobre o desemprego em Portugal, que se mantêm nos 6,8 %, o valor mais baixo desde 2002, lembrando, ainda assim, que é preciso verificar "a qualidade do emprego".

"Hoje, os níveis de precariedades, não só na administração publica, mas, sobretudo, no setor privado, levam a uma desvalorização dos salários e dos direitos dos trabalhadores que tem de ser invertidos. Essa é uma batalha que ainda falta resolver", considerou o líder do PCP.


legislativas 2019 promosite
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.