A+ / A-
80ª Volta a Portugal em bicicleta

De Mateos vence segunda etapa ao "sprint", confusão com a amarela

03 ago, 2018 - 18:19

Espanhol da Aviludo-Louletano ganha de forma imponente na chegada a Portalegre. Rafael Reis mantém a liderança da geral, após final complicado. Aviludo-Louletano protesta.
A+ / A-

Vicente Garcia De Mateos (Aviludo-Louletano) venceu a segunda etapa da Volta a Portugal em bicicleta, ao "sprint", esta sexta-feira, num dia em que a disputa pela camisola amarela ficou embrulhada numa autêntica confusão.

Começamos já por aí: Rafael Reis mantém a liderança da geral individual, após um final de etapa muito complicado e com confusão à mistura.

Tudo devido a uma queda nos últimos metros, que provocou um corte no pelotão e que levou a que Reis tivesse ficado para trás, perdendo algum tempo. Problemas esses que o Colégio de Comissários investigou, acabando por neutralizar os tempos globais da etapa, já que, não havendo corte, o corredor português da equipa espanhola finalizaria o dia com o mesmo tempo de De Mateos.

Ora, essa decisão acaba por manter Rafael Reis vestido de amarelo mas a Aviludo-Louletano protestou de imediato a conclusão do Colégio de Comissários. Nas contas da geral, nada se altera, com César Martingil (Liberty Seguros-Carglass) a dois segundos do líder, Daniel Mestre (Efapel) a três e Domingos Gonçalves (Rádio Popular-Boavista) a quatro.

Quanto ao final da etapa, o espanhol, cuja participação na "Grandíssima" esteve em risco, devido a uma alegada anomalia no passaporte biológico, protagonizou um ataque feroz na chegada a Portalegre, após a mais longa tirada da edição deste ano, com início em Beja e na extensão de 203,6 quilómetros. Venceu com o tempo de 5h47m25s.

Esta foi, de resto, uma jornada de sonho para o conjunto algarvio. De Mateos atacou de forma determinada nos últimos metros e foi coadjuvado de forma decisiva por Luís Mendonça, segundo classificado e com o mesmo tempo do colega de equipa.

O filme da etapa

Com os termómetros a ultrapassar os 40ºC pelo segundo dia consecutivo, o trajeto da etapa decorreu com velocidade mais reduzida. Pudera.

Ainda assim, foi um grupo de fuga liderado pelo malaio Muhammad Azman (Team Sapura) a comandar a corrida por mais de 150 quilómetros.

Previsivelmente, o "fosso" foi anulado pela cadência do pelotão e a fuga foi anulada a 20 quilómetros da meta.

Com um final técnico, em piso empedrado, houve várias tentativas de ataque à vitória isolada mas foi o esforço da dupla da Aviludo-Louletano que "esfumou" toda a restante concorrência.

Grande vitória de De Mateos que, ao cruzar a meta, colocou o indicador junto aos lábios, como que pedindo calma às críticas.

Amanhã, a terceira etapa será de cariz solidário: ligará Sertã a Oliveira do Hospital e atravessará as localidades mais afetadas pelos graves fogos de 2017. Terá a extensão total de 177,8 quilómetros.

[notícia atualizada às 19h58: classificação geral oficial divulgada pela Volta]

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Raul Sampaio
    04 ago, 2018 Ericeira 11:14
    É de lamentar que nem sequer dão a classificação geral individual dos 10 primeiros. Mas se fosse futebol aonde entrasse Benfica Sporting ou Porto mesmo em jogos de treino aí sabiam logo dar tudo.