A+ / A-

Sobe para nove detidos no caso das agressões na Academia de Alcochete

10 jul, 2018 - 06:31

A 15 de maio, a equipa de futebol do Sporting foi atacada na Academia do clube por um grupo de cerca de 40 alegados adeptos encapuzados.
A+ / A-
Nove pessoas foram detidas pela GNR e PSP na operação conjunta no âmbito da investigação às agressões que ocorreram em maio na Academia do Sporting, em Alcochete, e vão ser ouvidas esta terça-feira pelas autoridades.
Fonte da GNR disse à agência Lusa que esta força policial fez um total de oito detenções, enquanto a PSP confirma que deteve uma pessoa, em Lisboa, tendo participado também nas operações na margem sul.
Ao final da tarde de segunda, a Renascença apurou que tinham sido detidas seis pessoas. Já a revista “Sábado” avança que foram detidos mais 15 suspeitos em Lisboa, Montijo, Loures Amora, Cacém, Lavradio, Vale da Amoreira, Loures, Moita e Rio de Mouro.

A ação decorreu no âmbito de uma investigação dirigida pelo Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Lisboa às agressões que aconteceram a 15 de maio na Academia do Sporting em Alcochete.

Os detidos vão ser ouvidos esta terça-feira no Tribunal do Barreiro.

Agressão em Maio

No dia 15 de maio passado, a equipa de futebol do Sporting foi atacada na Academia do clube por um grupo de cerca de 40 alegados adeptos encapuzados, que agrediram técnicos, jogadores e 'staff'.

Na altura, a GNR deteve 23 dos atacantes, que permanecem em prisão preventiva.

No dia 5 de junho, foram detidas pelas autoridades mais quatro pessoas, entre elas antigo líder da Juventude Leonina Fernando Mendes, que também ficaram em prisão preventiva.

Os arguidos estão indiciados por vários crimes, nomeadamente sequestro, ofensa à integridade física qualificada, introdução em lugar vedado ao público, dano com violência, terrorismo, resistência e coação sobre funcionário.


[notícia atualizada às 8h40]


guialiga19_20_banner
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.