Tempo
|
A+ / A-

Portugal continua a ignorar leis que asseguram qualidade da água

03 jul, 2018 - 12:36

É o que revela um relatório da Agência Europeia do Ambiente divulgado esta terça-feira.

A+ / A-

A organização ambientalista WWF lamentou esta terça-feira que Portugal continue a "ignorar as leis que asseguram a qualidade da água", ressaltando o estado "chocante" das massas de água doce na Europa revelado hoje num relatório da Agência Europeia do Ambiente.

"Portugal é um dos países deficitários na aplicação das leis ambientais e isso reflete-se, por exemplo, na qualidade da água dos rios onde tomamos banho no verão e na água que rega os alimentos que consumimos", sublinhou em comunicado Ângela Morgado, diretora da Associação Natureza Portugal (ANP), a representação portuguesa da WWF.

A Wold Wide Fund for Nature (WWF, Fundo Mundial para a Natureza) aponta que não ficou surpreendida com os resultados do relatório, porque os Estados-membros da União Europeia "andam a contornar os seus compromissos com as leis da água há quase duas décadas".

O resultado, considera a organização, tem sido uma maior deterioração dos rios e dos lagos, para os quais os países europeus não vão atingir as metas propostas até 2027.

"Na Europa, o estado das águas é particularmente mau em muitos países da Europa central, como a Alemanha, Holanda e Bélgica, com maior densidade populacional e agricultura mais intensiva. Como resultado, a maioria das massas de água ainda não consegue atingir um bom estado ecológico", refere o comunicado da ANP/WWF.

A organização pede "esforços redobrados para proteger e restaurar os recursos hídricos da Europa" e defende que o relatório deve ser visto como "um alerta final".

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Filipe
    04 jul, 2018 évora 00:02
    Pois é , o Alqueva tem dezenas de estudos de Mestrado e Doutoramentos de várias Universidades que atestam a a podridão da água , nomeadamente a quantidade de pesticidas e herbicidas que no contacto com o humano são cancerígenos . Mas por milagre ou de propósito , transformam o podre em ótima qualidade de água para banhos , porque até lá o pastor das ovelhas sabe que os parâmetros que a medem são superficiais e não tão profundos como as teses feitas pelas Universidades , só falta meterem lá fontes para abastecer garrafões de 5 litros ... Uma Fraude ao Povo ! E, basta saber que a água que entra em Portugal do lado de Espanha está interdita em banhos ! Mas é a mesma que chega a Portugal , cá fica ótima , pode ser que os políticos se banhem no Alqueva um dia .

Destaques V+