Tempo
|
A+ / A-

Papa recebe "cónego honorário Emmanuel Macron"

26 jun, 2018 - 15:11

Francisco e o Presidente francês conversaram sobre ambiente e migração e discutiram ainda os conflitos no Médio Oriente e em África.

A+ / A-

O Papa Francisco recebeu, esta terça-feira, no Vaticano, o Presidente de França, Emmanuel Macron.

Segundo uma nota emitida pelo Vaticano, Francisco e Macron conversaram sobre vários assuntos de interesse comum, incluindo a problemática da migração que tem afetado a Europa ao longo dos últimos anos e sobre a qual o Papa tem falado insistentemente.

Outros assuntos incluíram a proteção do ambiente, também esta uma “bandeira” do pontificado de Francisco, e a prevenção de conflitos.

“A conversa permitiu também uma troca de pontos de vista sobre várias situações de conflito, em particular no Médio Oriente e em África. Por fim, houve uma reflecção conjunta sobre as perspetivas do projeto europeu”, lê-se no comunicado publicado pela Santa Sé.

Uma particularidade desta visita de Emmanuel Macron ao Vaticano é o facto de o Chefe de Estado francês ter sido empossado como “proto-cónego de honra” do Capítulo da Basílica de São João de Latrão.

A basílica papal e França mantêm uma ligação que remonta ao século XV, quando o rei Luís XI doou a São João de Latrão a abadia de Clairac e os seus rendimentos, decisão confirmada por Henrique IV em 1604. Em contrapartida, foi conferido ao chefe de Estado francês o título de “primeiro e único cónego honorário” (premier et unique chanoine d’honneur).

Anualmente, celebra-se em São João de Latrão uma Missa pelo bem e a prosperidade da França (Pro felici ac prospero statu Galliæ) a 13 de dezembro, dia do nascimento de Henrique IV.

A maioria dos anteriores presidentes franceses não aceitou ser empossado, com exceção de François Sarkozy.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+