Tempo
|
A+ / A-

Trump acusa Harley-Davidson de se render à Europa

25 jun, 2018 - 22:59

Presidente norte-americano critica fabricante de motos por transferir parte da produção para a Europa.

A+ / A-

O Presidente norte-americano, Donald Trump, criticou esta segunda-feira o fabricante de motos Harley-Davidson pela decisão de transferir uma parte da produção para a Europa.

A Harley-Davidson anunciou a medida para evitar as novas taxas aplicadas no âmbito da guerra comercial entre os dois blocos e evitar a subida do preço das suas motos no continente europeu.

Donald Trump mostra-se “surpreendido” e acusa a Harley, um dos símbolos dos Estados Unidos, de ter sido a primeira empresa a “acenar com a Bandeira Branca”.

“Eu lutei arduamente por eles e, no final de contas, não vão pagar tarifas na União Europeia”, disse o líder norte-americano na rede social Twitter.

“As tarifas são apenas uma desculpa para a Harley. Tenham paciência”, declarou Trump.

A Harley-Davidson tem em marcha um plano para deslocalizar o fabrico de algumas das suas motos para fora dos Estados Unidos, em resposta às novas taxas alfandegárias impostas pela União Europeia sobre quase 200 produtos norte-americanos que os Estados-membros importam ao país.

Num relatório apresentado esta segunda-feira em bolsa, a empresa norte-americana diz que as novas taxas retaliatórias da UE, impostas em resposta às tarifas que Donald Trump decidiu impor sobre todo o aço e alumínio exportado pela UE para os EUA, vão fazer subir em 2200 dólares (cerca de 1880 euros) o preço médio de cada motociclo exportado para a Europa.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.