Tempo
|
A+ / A-

Papa diz que ciência “tem limites a respeitar"

28 abr, 2018 - 17:08

Francisco acrescenta que nem tudo é "aceitável eticamente".

A+ / A-

O Papa diz que a ciência "tem limites a respeitar" para bem da própria humanidade e que nem tudo é "aceitável eticamente", numa declaração durante uma audiência com especialistas em medicina regenerativa.

Francisco recebeu este sábado os participantes numa conferência internacional sobre medicina regenerativa convocada no Vaticano.

Perante os especialistas, Francisco defendeu que a ciência é "um meio potente para compreender melhor a natureza e a saúde humana".

Segundo o Sumo Pontífice, a Igreja elogia todo o esforço de investigação e a sua aplicação para curar pessoas que sofrem, mas lembrou que um dos princípios fundamentais é que "nem tudo o que é tecnicamente possível é eticamente aceitável".

"A ciência, como qualquer outra atividade humana, sabe que tem limites a respeitar para bem da própria humanidade e necessita de um sentido de responsabilidade ética", afirmou, citado pelas agências de notícias internacionais.

O Papa defendeu ainda a necessidade de basear os cuidados de saúde "na exigência de pensar em todos, especialmente em quem vive com problemas sociais e culturais que tornam mais precária a sua saúde e o seu acesso a tratamento".

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+