Tempo
|
A+ / A-

Vitrais comemoram sacrifício de portugueses em La Lys

09 abr, 2018 - 17:20

A igreja católica de St. James, em Twickenham, inaugurou dois vitrais no 100º aniversário da batalha. D. Manuel II, que frequentou a Igreja quando esteve exilado, também é recordado.

A+ / A-

Foram inaugurados esta segunda-feira em Twickenham, Inglaterra, dois vitrais alusivos ao sacrifício dos militares portugueses na batalha de La Lys, que ocorreu há precisamente 100 anos, na Flandres.

A batalha acabou por ser a mais marcante ação da Força Expedicionária Portuguesa, tendo resultado num desastre militar, apesar de os portugueses terem sido louvados pela sua bravura.

Um século mais tarde esta bravura fica recordada num memorial inaugurado na igreja de Saint James, em Twickenham, que assim celebra também a sua forte ligação histórica a Portugal.

Twickenham foi a terra escolhida por D. Manuel II para o seu exílio, depois da implantação da República em Portugal. O Rei deposto frequentava aquela paróquia, e por sua vez doou dois vitrais à igreja, havendo já um memorial em sua honra dentro da mesma. Nestes vitrais ele não é esquecido.

Diplomaticamente os vitrais incluem tanto a coroa real portuguesa como o escudo português sobre a esfera armilar, que passou a ser usado durante a república, mas o mais importante são as representações dos militares portugueses em pleno combate, num dos vitrais e noutro um militar ferido a ser auxiliado por uma enfermeira.

Atualmente, no Reino Unido, apenas existe um memorial aos militares portugueses na Primeira Guerra Mundial. Trata-se da lareira da cozinha do acampamento de uma unidade militar portuguesa que esteve durante a guerra no Reino Unido a ajudar a comunidade local a produzir lenha, para o esforço de guerra.

A lareira foi restaurada e pode ser visitada na floresta, em Lyndhurst, tendo uma placa explicativa.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+