A+ / A-

Marcelo "muitíssimo impressionado" com projeto de saúde português

20 fev, 2018 - 23:55

Visita não fazia parte da agenda oficial do Presidente, mas ida ao hospital era “fundamental”, considera Marcelo.

A+ / A-

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, manifestou-se esta segunda-feira "muitíssimo impressionado" com o projeto de saúde que o Instituto Marquês de Valle Flôr coordena no hospital são-tomense, depois de uma visita que não estava no programa oficial.

Em declarações aos jornalistas após a visita, o Presidente português disse que era fundamental ver este projeto e destacou "a qualidade de tudo, equipamento e instalações".

Marcelo Rebelo de Sousa sublinhou "o mérito" das instituições portuguesas que participam no projeto Saúde para Todos, através das consultas de telemedicina, acompanhadas em Portugal, e que vai ter em breve mais duas salas de cirurgia, que permitirão duplicar ou triplicar o número de operações.

Questionado sobre se este tipo de equipamento também é usado em hospitais portugueses, nomeadamente no interior do país, Marcelo Rebelo de Sousa respondeu que sim, sobretudo quando "é preciso fazer chegar em tempo real um dado ao clínico que vai tomar uma decisão".

"Eu conheço muitíssimos casos e isso tem salvado vidas ou permitir intervir a tempo para minorar problemas gravíssimos de saúde", disse.

A acompanhar a visita esteve a ministra da Saúde são-tomense, Maria de Jesus Trovoada, que elogiou o serviço de telemedicina porque "ajuda a colmatar" a falta de médicos especialistas e "a fazer o diagnóstico em tempo útil e oportuno para reduzir o número de evacuações para Portugal".

Marcelo Rebelo de Sousa agradeceu à ministra tê-lo acompanhado a hora tão tardia, sobretudo porque a governante "não é particularmente noctívaga".

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.