Tempo
|
A+ / A-

Folgosinho vai ter um castanheiro “Rosa Mota”

11 fev, 2018 - 10:40 • Liliana Carona

A ex-atleta olímpica participou num evento de plantação de castanheiros, para contrariar os efeitos destrutivos dos incêndios de outubro.

A+ / A-

A maratonista olímpica Rosa Mota está este fim-de-semana em Folgosinho para “amadrinhar” iniciativas de reflorestação e o Free Trail Solidário Renascer Folgosinho que decorre este domingo, com o objetivo de devolver a paisagem verde, àquela aldeia.

Depois dos incêndios de outubro, que destruíram 2300 hectares de vegetação, os habitantes uniram-se e constituíram uma associação local, a Folgonatur, que entre novembro e fevereiro, já plantou perto de 20 mil árvores.

Uma delas foi plantada por Rosa Mota, que revelou não ter só queda para a corrida, mas também para plantar árvores, mais precisamente, um castanheiro, em Folgosinho, localidade que perdeu mais de dois mil hectares de vegetação nos incêndios de outubro.

A maratonista olímpica está este fim-de-semana em Folgosinho, convidada para ser madrinha do evento que é dedicado à reflorestação daquela freguesia.

“Foi um convite simpático e honroso que me fizeram para plantar árvores e apadrinhar o trail. Temos a noção através da televisão e jornais, mas outra coisa é estar aqui e ver a natureza tão linda toda destruída, é uma tristeza, e com a ajuda de todos não custa nada”, afirmou à Renascença enquanto plantava o castanheiro, batizado com o seu nome.

Desde os incêndios de outubro que os populares de Folgosinho decidiram meter mãos à obra, e sem esperar por outro tipo de ajudas, fundaram uma associação, a Folgonatur. António Tadeu Esteves, faz as contas ao número de árvores já plantadas. “Desde a nossa fundação já plantámos entre 18 a 20 mil árvores. Também Fernando Henriques, presidente da junta de Folgosinho recusa cruzar os braços. “Nós não podemos cruzar os braços, temos que pôr isto como dantes. Com estas iniciativas das pessoas de Folgosinho, a junta está muito agradecida. Que seja pelos nossos vindouros”, considera o autarca local.

Daniel Paiva é um dos jovens que está na organização do Free Trail Solidário ‘Renascer Folgosinho e conta que as inscrições esgotaram num instante. “É um evento que já teve outras edições pelos Galhardos Runners, mas decidimos fazer um evento solidário maior com mais de 350 pessoas, (e já esgotado), em que as convidamos a entregar um donativo que será destinado à Folgonatur”, explica.

Entretanto a lendária atleta portuguesa já está de olhos postos no futuro. “Vai ser o castanheiro da Rosa Mota, a primeira castanha é para mim”, sorri.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Alves
    11 fev, 2018 Alvarinho 11:42
    E o castanheiro irá dar castanhas?? Ou serão azuis?! Não falta aproveitamento com a miséria dos outros!! Ide pastar! Até pode ser que apanheis algumas folhas e vos faça bem ao bucho!