Tempo
|
A+ / A-

Papa. “Onde a vida não vale pela sua dignidade, mas pela sua utilidade, tudo é possível”

26 jan, 2018 - 12:54

Num discurso à Congregação para a Doutrina da Fé, Francisco criticou a eutanásia, mas também falou sobre a economia.

A+ / A-

O Papa Francisco criticou esta sexta-feira a mentalidade que leva à aceitação da Eutanásia, dizendo que numa sociedade onde o valor da vida não se mede pela sua dignidade inerente, tudo é possível.

Num discurso aos membros da Congregação para a Doutrina da Fé, em Roma, Francisco lamentou que o “processo de secularização” esteja a “absolutizar o conceito de autodeterminação e autonomia” levando vários países a defender a eutanásia “como afirmação ideológica da vontade de poder do homem sobre a sua vida”.

“Isso levou até a considerar a interrupção voluntária da existência humana como uma escolha ‘civilizacional’”, disse ainda o Papa, concluindo que “é claro que onde a vida não vale pela sua dignidade, mas pela sua utilidade ou produtividade, tudo se torna possível. Perante isto há que reafirmar que a vida humana, desde a concepção até à morte natural, possui uma dignidade que a torna intangível”.

A mentalidade moderna lida mal com conceitos como a dor e o sofrimento, considera Francisco, mas “sem uma esperança confiável que o ajude a enfrentar a dor e a morte, o homem não consegue viver bem nem conservar uma perspectiva de esperança sobre o seu futuro. Este é um serviço que a Igreja é chamada a prestar ao homem contemporâneo.”

A função da Congregação para a Doutrina da Fé é de zelar pela pureza doutrinal dentro da Igreja, mas o Papa Francisco disse hoje que aos seus funcionários cabe também “recordar a vocação transcendental do homem e a inseparável ligação entre a sua razão e a verdade e o bem, em que o introduz a fé em Jesus Cristo. Nada como abrir a razão à luz que vem de Deus ajuda o homem a conhecer-se a si mesmo e ao desígnio de Deus no mundo”.

O Papa guardou ainda algumas palavras para um tema sobre o qual já falou diversas vezes, pedindo o desenvolvimento de uma “adequada antropologia no campo económico-financeiro”.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Roberto
    03 fev, 2018 Liboa 11:02
    Da Eutanásia passa-se depois para a proibição de tratar certas doenças por serem caras e limitar a idade a partir do qual o ato médico fica proibido.

Destaques V+