Tempo
|
A+ / A-

Francisco quer legislação que proteja as mulheres

20 jan, 2018 - 21:55

Sumo Pontífice esteve em celebração mariana este sábado.

A+ / A-
Papa no Perú. Francisco pede o fim da “praga” dos femicídios
Papa no Perú. Francisco pede o fim da “praga” dos femicídios

O Papa denunciou a morte de mulheres e todo o tipo de violência de género que tornou a América Latina o local mais violento do mundo para as mulheres.

Perante milhares de pessoas numa celebração mariana, na cidade de Trujillo, Francisco pediu legislação que proteja as mulheres.

Olhando para as mães e as avós, quero convidar-vos a lutar contra uma praga que fere o nosso continente americano: os numerosos casos de homicídio de mulheres. E muitas são as situações de violência que ficam silenciadas por trás de tantas paredes. Convido-vos a lutar contra esta fonte de sofrimento, pedindo que se promova uma legislação e uma cultura de repúdio a todas as formas de violência”.

O Sumo Pontífice deixou um grande elogio “a todas as mães e avós desta nação; são verdadeira força motriz da vida e das famílias do Peru. Que seria o Peru sem as mães e as avós? Que seria a nossa vida sem elas?”.

O Papa considerou que a praça onde realizou o discurso de transformou “num santuário a céu aberto no qual todos queremos deixar-nos olhar pela Mãe, pelo seu olhar materno e amável”.

“Mãe que conhece o coração dos peruanos do norte e de tantos outros lugares; viu as suas lágrimas, os seus sorrisos, as suas aspirações”.


Renascença no Chile e Peru com o Papa Francisco. Apoio: Santa Casa da Misericórdia de Lisboa

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+