A+ / A-
Perguntas e respostas

​O que é uma hérnia umbilical, o motivo que levou Marcelo ao hospital?

28 dez, 2017 - 15:40

O que é uma hérnia umbilical? Que risco tem? O que a provoca? Como tratar uma hérnia?
A+ / A-

O Presidente da República foi esta quinta-feira à tarde internado no Hospital Curry Cabral, em Lisboa, para ser operado a uma hérnia umbilical, anunciou a Presidência em comunicado.

O que é uma hérnia umbilical?

Há vários tipos de hérnias. A umbilical corresponde a uma zona de fraqueza da parede abdominal.

Esta fraqueza permite que parte do intestino ou de outro órgão da cavidade abdominal faça saliência mole para o exterior, na zona do umbigo.

Que risco tem uma hérnia umbilical?

A hérnia umbilical costuma ser inofensiva. É mais frequente em crianças, mas também pode afectar os adultos. O problema é mais frequente em mulheres com idade entre os 50 e os 70 anos.

O que provoca uma hérnia umbilical?

As causas mais comuns nos adultos são situações que causam um aumento da pressão na parede abdominal.

Obesidade, gravidez, sobretudo a gravidez múltipla, actividades como levantar pesos, a tosse crónica, a obstipação e a realização de cirurgia abdominal são as causas mais frequentes de hérnias umbilicais.

O que é o risco de encarceramento?

A operação de Marcelo Rebelo de Sousa "estava há muito prevista para o início de Janeiro, mas os médicos assistentes decidiram antecipá-la, por ter encarcerado”, informou a Presidência da República.

O encarceramento é também conhecido, em termos médicos, por estrangulamento.

Na infância, a hérnia umbilical tende a ser indolor, mas nos adultos pode causar desconforto na zona abdominal e o risco de encarceramento do conteúdo da hérnia é maior.

O encarceramento torna impossível a reinserção da hérnia na cavidade abdominal. Reduz o fluxo sanguíneo do segmento de intestino afectado, causando dor umbilical e lesão dos tecidos.

Quando o fluxo sanguíneo está completamento interrompido, estamos perante uma hérnia estrangulada que, se não for tratada, causará morte dos tecidos, com infecção que se estende a todo o abdómen e que pode ser fatal.

Se o fluxo sanguíneo ficar interrompido, ocorre estrangulamento que se manifesta por dor, náuseas, vómitos e paragem dos movimentos intestinais com obstipação. Nesse caso, a pele sobre a hérnia fica vermelha, com sinais inflamatórios marcados, e pode ocorrer febre.

Uma hérnia estrangulada é uma emergência cirúrgica porque o intestino ou outro órgão pode entrar em fase de necrose, causando uma inflamação potencialmente fatal da cavidade abdominal.

Como tratar uma hérnia?

No caso dos adultos, a cirurgia permite evitar complicações, nomeadamente se a hérnia tende a tornar-se maior ou se é dolorosa.

A operação que Marcelo vai realizar chama-se herniorrafia e corresponde ao encerramento da zona de fraqueza da parede muscular.

Quando essa zona é extensa, utilizam-se materiais sintéticos que reforçam as estruturas enfraquecidas. A boa notícia é que as recaídas são raras.

É possível prevenir uma hérnia umbilical?

No caso dos adultos, sim. A prevenção passa pela manutenção de um peso saudável e de um normal trânsito intestinal, através da ingestão de líquidos e fibras.

O exercício físico regular é igualmente importante, ajudando a reforçar os músculos abdominais e controlando o peso. A adopção de uma postura adequada sempre que se levantam pesos é outra das recomendações.


Fonte: Saúde CUF

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Alberto
    28 dez, 2017 Funchal 16:41
    A hérnia era o que o ligava, ainda, ao Padrinho - Marcello Caetano.