Tempo
|
A+ / A-

​Eutanásia. “É inconstitucional" e Igreja espera intervenção do PR, caso seja aprovada

24 dez, 2017 - 10:23

Cardeal Patriarca de Lisboa fala também dos incêndios que assolaram este ano o país. É “preciso ajudar as vitimas a refazer a vida”.

A+ / A-

O Cardeal-Patriarca de Lisboa, D. Manuel Clemente, reafirma que aprovar a eutanásia seria inconstitucional e que, se isso acontecer, vai pedir a intervenção do Presidente da República.

É o que diz em entrevista publicada este domingo no jornal “Correio da Manhã”.

“Em caso de hipotética aprovação da eutanásia, há toda a razão para a solicitação da verificação da constitucionalidade”, explica D. Manuel, que diz ainda que fazer um referendo sobre esta matéria também não é possível, de acordo com a Constituição.

Nesta entrevista, D. Manuel fala também das vítimas dos incêndios, renovando o apelo de que é “preciso ajudar as vitimas a refazer a vida”.

"Para aqueles que viveram o drama dos incêndios será um Natal difícil", reconhece.

O Cardeal Patriarca fala ainda da questão ambiental, com referência à encíclica do Papa Francisco. D. Manuel Clemente considera que a defesa do ambiente é um problema de toda a humanidade e reconhece que as pessoas vão tomando consciência disso. Há, no entanto, barreiras na esfera política.

"Os poderes políticos, que estão sempre muito mais preocupados com o que se passa dentro das fronteiras dos seus países, ficam alertados para realidades que não têm fronteiras. O ar que respiramos é o mesmo que se respira em Espanha", remata.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • 12 abr, 2018 16:12
    Afinal como e? Morremos a pressa ou devagar? Eu pessoalmente prefiro a pressa devagar deve doer muito!
  • cunha
    24 dez, 2017 france 23:37
    O Cardeal-Patriarca de Lisboa , devia falar mais de Deus , hoje aniverssario do nascimento de Jesus , e vai falar de eutanasia ? Querem se ver libres dos idosos de Portugal ? Antes de serem idosos foram novos e trabalharam , nascemos para viver , nao para morrer , matarem nos ?
  • João Lopes
    24 dez, 2017 Viseu 17:51
    A eutanásia ofende o principal direito humano que é o direito à vida! A eutanásia e o suicídio assistido são diferentes formas de matar. Os médicos e os enfermeiros existem para defen-der a vida humana em todas as circunstâncias e não para matar, nem ser cúmplices do crime de outros.

Destaques V+