Tempo
|

Família e comunicação

18 mai, 2015 • Ângela Roque

A mensagem do Papa para o Dia das Comunicações Sociais, que se assinalou este Domingo, foi um dos temas do “Princípio e Fim”, onde demos a conhecer o trabalho que uma associação católica centenária faz na ajuda aos jovens em risco e a mães adolescentes.

Numa semana marcada por vários casos de violência entre jovens ganhou ainda mais actualidade, em Portugal, a mensagem do Papa para o Dia Mundial das Comunicações Sociais. Francisco lembra que a Família é escola de comunicação e o primeiro lugar onde se aprende a comunicar.

O Bispo auxiliar do Porto, D. Pio Alves, que preside à  Comissão Episcopal da Cultura, Bens Culturais e Comunicações Sociais falou-nos sobre a mensagem do Papa.

Na reportagem alargada desta semana mostrámos o trabalho da Associação Católica Internacional ao Serviço da Juventude Feminina, que celebrou 100 anos de existência na cidade do Porto. Espalhada por todo o mundo tem na cidade invicta várias valências: acolhe dezenas de jovens em risco, mães adolescentes e seus filhos, e tem uma cantina social onde alimenta sem-abrigo e famílias carenciadas. Lá por fora é uma das instituições da igreja envolvida no acolhimento aos imigrantes e refugiados que chegam à costa de Itália.

Em destaque no programa esteve a canonização, este Domingo, de 4 religiosas, duas delas palestinianas. A cerimónia levou milhares de peregrinos a Roma, muitos da Palestina e da Jordânia.

A nossa reportagem passou também pela vigília de oração, que em Lisboa assinalou os 100 anos do nascimento do irmão Roger, e pela Festa da Família, que decorreu este Domingo no Mucifal, em Colares.

Falámos ainda de Fátima com o arcebispo da Aparecida, que veio presidir às cerimónias do 12 e 13 de Maio, e do novo livro “Santuários de Portugal: Caminhos de Fé”, lançado pela Paulinas Editora e que conta a história dos 161 santuários que há no país.

A crónica teve esta semana a assinatura do jornalista Joaquim Franco.