Dia Mundial do Coração 2012

Para que o seu coração continue a bater sempre saudável

20 set, 2012

A Renascença ao ritmo do seu coração
Para que o seu coração continue a bater sempre saudável

Um mundo, um lar, um coração: é com estas palavras que assinalamos mais um Dia Mundial do Coração. Uma altura para lembrar os riscos das doenças cardíacas e do acidente vascular cerebral e que a Renascença faz questão de divulgar.
Ao contrário do que parece ser ainda crença comum, estes riscos afectam homens e mulheres de igual forma e também as crianças estão vulneráveis a este tipo de problemas. Este é um assunto que diz respeito a todos e que exige o envolvimento de toda a sociedade. Actuar agora significa salvar a vida dos que nos são próximos e que amamos.
Mas há boas notícias! É que há muito para fazer no sentido de proteger quem mais gosta. Oiça os testemunhos de diferentes especialistas da Fundação Portuguesa de Cardiologia aqui, na Renascença.

Aproveite que está a começar um novo ano escolar e crie novos hábitos em família, porque as crianças são cada vez mais uma preocupação:
- Comece por adoptar o hábito de praticar alguma actividade física. Ainda na infância, a falta de actividade física é um grande factor de risco (tal como a diabetes e a obesidade) e pode aumentar as probabilidades de uma criança vir a desenvolver problemas cardíacos na idade adulta.
Numa nota positiva, há muitas coisas no nosso dia-a-dia que contam como actividade física: fazer as tarefas de casa ou tratar do jardim também contam! Porque não pede ajuda às suas crianças para porem a casa em ordem? Bastam 30 minutos de actividade física, de intensidade moderada, cinco vezes por semana para reduzir os riscos de doença cardíaca!

- Promova uma alimentação saudável. A má alimentação está ligada a 4 dos 10 maiores factores de risco, em doenças mortais, a nível mundial!
Não tente mudar radicalmente os seus hábitos, mas dê passo pequenos e que consiga cumprir. Troque os snacks e os chocolates por peças de fruta. Diminua a quantidade de sal que ingere (menos de uma colher de chá, cerca de 5 gramas, é o aconselhado). Reduza as porções de comida – que tal começar a usar pratos mais pequenos? – e aumente a quantidade de frutas e legumes.
Faça escolhas mais saudáveis pelas suas crianças, quanto mais colorida for a comida que tem no prato, melhor! E para que os mais pequenos não torçam o nariz, pode sempre pedir-lhes ajuda na hora de preparar as refeições.

- Muito importante é dizer “não” ao tabaco. Esta é uma medida que lhe diz respeito a si e a todos os que o rodeiam. Se aquilo que come o afecta directamente a si, já o tabaco acaba por atingir todos os que estão à sua volta. 600 mil não fumadores morrem todos os anos por serem fumadores passivos, incluindo crianças.
É essencial que torne a sua casa (e quem sabe até o seu local de trabalho) num lugar livre de fumo e ensine aos mais pequenos os riscos do tabaco. Se tiver dificuldade em deixar de fumar peça ajuda ao seu médico.

- E já que falamos em médicos, depois de todos os passos anteriores é importante começar a conhecer os “seus números”. Tome nota da sua tensão arterial, colesterol, peso, índice de massa corporal, etc. Só acompanhando os seus valores e reconhecendo os factores de risco que mais o afectam vai poder traçar um plano de acção adequado para si.
De certeza que quando começar a ver alterações positivas vai ficar ainda com mais vontade de se manter fiel ao seu plano.

Ao contrário de outras doenças, a doença cardíaca pode ser evitada. Pense em si. Pensa na sua família.
Dia 29 de Setembro é Dia Mundial do Coração e o dia perfeito para descobrir como salvar a sua vida e de todos aqueles que ama!