|

 Casos Ativos

 Internados

 Recuperados

 Mortes

Caixa rejeita culpa por fim de projecto turístico no Alqueva

08 ago, 2012 • Ana Carrilho

Banco estatal argumenta que não podia deixar de exigir garantias adequadas ao risco que a operação apresentava.

A Caixa Geral de Depósitos (CGD) garante que cumpriu todas as obrigações relativamente ao projecto turístico para o Alqueva, liderado por José Roquette, e, enquanto instituição de crédito, não podia deixar de exigir garantias adequadas ao risco que a operação apresentava.

Numa declaração à agência Lusa, o banco estatal reage assim à decisão da Sociedade Alentejana de Investimentos e Participações (SAIP), que terça-feira entregou no tribunal um pedido de insolvência.

A CGD diz lamentar que a sociedade liderada por José Roquette responsabilize o banco pela não concretização do projecto, de forma directa ou indirecta.

Num comunicado divulgado esta quarta-feira, a SAIP assume que o pedido de insolvência foi decidido na sequência da falta de acordo com a Caixa Geral de Depósitos quanto ao modelo de financiamento do projecto anunciado pelo banco, definitivamente, no final do mês passado.

Em causa estão as garantias pessoais que a Caixa terá continuado a exigir a José Roquette, mesmo depois da reestruturação do financiamento e que o empresário não aceitou.

O comunicado refere que, na prática, seria o promotor do projecto a assumir, totalmente e de forma ilimitada, a responsabilidade, não partilhando a CGD do risco pelo qual foi e continua a ser “muitíssimo bem remunerada”.

A Sociedade Alentejana de Investimentos e Participações alega que assim não tem condições para continuar um projecto que, ainda há um ano, foi considerado de interesse estratégico nacional pelo actual Governo.

O Ministério da Economia ainda não comentou o fim deste projecto, que iria criar cerca de 500 postos de trabalho.