Siga-nos no Whatsapp

Chavez terá morrido de ataque cardíaco fulminante

07 mar, 2013

Funeral está marcado para sexta-feira, mas o Governo ainda não divulgou o local.

O Presidente da Venezuela terá morrido de um ataque cardíaco fulminante, após dizer que não queria morrer, segundo revelou o chefe da guarda presidencial do país.

O general Jose Ornella, que passou os últimos dois anos ao lado de Hugo Chavez, disse que o Presidente venezuelano, embora não tivesse “condições de falar”, terá balbuciado: “Não quero morrer. Por favor, não me deixem morrer”.

Jose Ornella, que falava do lado de fora da Academia Militar, em Caracas, onde o corpo do Presidente está a ser velado, contou ainda que o cancro estava num estado muito avançado quando Chavez morreu, mas não quis revelar mais detalhes.

O funeral está marcado para sexta-feira, mas o Governo ainda não divulgou o local. As homenagens a Chavez começaram na manhã de quarta-feira com 21 tiros de canhão disparados em todas as unidades militares da Venezuela.

De acordo com o chanceler da Venezuela, Elías Jaua, os canhões serão disparados a cada hora em todo o país até ao dia do enterro do líder.

O Presidente venezuelano morreu na terça-feira, aos 58 anos, vítima de um cancro na região pélvica.