|

 Confirmados

 Suspeitos

 Recuperados

 Óbitos

Movimentações militares na fronteira com a Ucrânia preocupam NATO

14 jun, 2014

Um avião militar ucraniano foi abatido e matou 49 pessoas. Presidente Petro Peroshenko promete resposta adequada. Isto, no dia em que foi encontrada uma bomba junto à garagem da sua residência oficial.

A NATO divulgou este sábado imagens de satélite que mostram movimentação de tanques na fronteira com a Ucrânia ao longo de vários dias.

Segundo a Organização do Tratado do Atlântico Norte, existem suspeitas da utilização de material militar russo no leste da Ucrânia onde se registaram confrontos entre as forças do Governo ucraniano e separatistas russos que resultaram em várias mortes.

As imagens mostram tanques russos a chegar à zona controlada pelos separatistas, o que pode mostrar que os rebeldes estão a adquirir da Rússia material bélico pesado, inclusive tanques de guerra.

A serem confirmados, avança um oficial da NATO, os dados aumentam as preocupações quanto ao envolvimento da Rússia, facilitando a instabilidade no leste da Ucrânia e movimentando tropas russas para território ucraniano.

As suspeitas ganharam força ao longo das últimas semanas, já que foram detectados, também via satélite, tanques que se suspeita serem russos já que não têm as pinturas usadas em tanques ucranianos.

Falta agora a confirmação. O que se vier a acontecer, diz o secretário-geral da Aliança Atlântica, Anders Fogh Rasmussen, pode representar uma séria escalada da situação no leste da Ucrânia.

A NATO revela que a Rússia tem dois mil tanques com indicação para serem destruídos mas que continuam operacionais.

Presidente promete resposta adequada
O Presidente ucraniano promete uma resposta adequada ao abate de um avião militar que matou 49 pessoas no leste na Ucrânia no sábado. Num comunicado divulgado este sábado, Petro Peroshenko afirma que todos os envolvidos em actos de terrorismo desta magnitude devem ser punidos.

Também hoje, a embaixada da Rússia em Kiev foi atingida por ovos e a sua bandeira retirada por manifestantes. Um protesto contra o apoio que Moscovo tem dado aos separatistas do leste do país, em especial depois incidente de sexta-feira à noite em lugansk, com um avião militar.