Mais de 150 casas de cristãos incendiadas no Paquistão

11 mar, 2013

Acusação de blasfémia esteve na origem da destruição da Colónia Joseph, habitada por cristãos, na cidade de Lahore, Paquistão.
Mais de 150 casas de cristãos incendiadas no Paquistão
Uma discussão entre um cristão e um barbeiro que se recusou a atendê-lo terá estado na origem da mais recente onda de perseguição que levou à destruição de pelo menos 178 casas de cristãos na cidade paquistanesa de Lahore.

O jovem Sawan Masih envolveu-se numa troca de acusações com um barbeiro muçulmano, Imran Shahid. Este terá insultado a religião de Masih e mais tarde foi à esquadra local onde acusou o cristão de ter insultado o profeta Maomé. Esta acusação de blasfémia acarreta uma sentença de pena perpétua.

Na manhã seguinte uma multidão de muçulmanos atacou o bairro cristão da cidade, conhecida como Colónia de José, destruindo 178 casas e obrigado todos os habitantes a fugir. Não houve vítimas mortais mas pelo menos 35 pessoas ficaram feridas.

O incidente deu-se no sábado. Esta segunda-feira todas as escolas estiveram fechadas, em solidariedade com os cristãos. O ataque já foi condenado por várias pessoas da sociedade civil e de organizações que lutam pela igualdade de direitos no Paquistão.