Governo assume "firme compromisso" de reduzir despesa do Estado

04 out, 2012

Pedro Mota Soares assegura que o Executivo irá reduzir a despesa nos ministérios, autarquias, parcerias público privadas, "rendas excessivas", observatórios, empresas municipais e partidos políticos.
O ministro da Solidariedade e da Segurança Social afirmou que o Governo tem o "firme compromisso" de reduzir a despesa orgânica do Estado no Orçamento do Estado para 2013.

"Dado que há uma deterioração da situação económica externa e da situação económica interna, são necessários esforços adicionais, que representam compromissos internacionais. Mas também é verdade que este Governo e esta maioria têm o firme compromisso de finalizar, até à conclusão do processo orçamental, um esforço redobrado na redução da despesa, sobretudo a despesa orgânica do Estado consigo mesmo", afirmou Pedro Mota Soares.

Na intervenção de encerramento do debate da moção de censura ao Governo, o ministro da Segurança Social referiu que conseguir a moderação da carga fiscal "depende precisamente do esforço suplementar do lado da despesa para que os portugueses sintam uma justa repartição dos esforços é uma equidade entre o Estado e a sociedade".

"Sem nenhuma concessão aos interesses instalados", disse, o Governo irá reduzir a despesa nos ministérios, autarquias, parcerias público privadas, "rendas excessivas", observatórios, empresas municipais e partidos políticos.

Mota Soares criticou PCP e BE considerando que foi "por tacticismo" que apresentaram no mesmo dia moções de censura mas nunca "governariam juntos" nem "tem uma ideia possível e viável para governar Portugal".

"Sejamos claros, enquanto Portugal viver sob assistência externa, se não fosse o dinheiro do empréstimo, não teríamos como pagar prestações sociais aos que delas mais precisam. Mas que dizem o PCP e o Bloco? Rasgue-se o memorando", criticou.