Tempo
|

Estatística

Contra a história, marchar, marchar

27 jun, 2012 • Tiago Moreira

É uma dominadora Espanha que Portugal tem hoje pela frente. À procura de uma surpresa neste Euro 2012, a equipa das quinas vai ter de contornar o passado e os números que tendem para o adversário.

Contra a história, marchar, marchar

Prevê-se difícil, muito difícil, o confronto peninsular entre Portugal e a Espanha, nas meias-finais do Euro 2012. 
 
A "Roja" leva vantagem nos números e na história. Basta um facto para assustar: os espanhóis não sofrem um único golo em eliminatórias desde 2008. Frente à Espanha, a selecção comandada por Paulo Bento leva um histórico desequilibrado em jogos oficiais: uma vitória, dois empates e quatro derrotas.
 
Espanhóis são os donos da bola no Euro 2012
A selecção comandada por Vicente del Bosque tem estado em destaque neste Campeonato Europeu, do ponto de vista colectivo, discutindo os primeiros lugares de grande parte das estatíticas. Nos quartos-de-final, por exemplo, frente à França, a equipa só foi alvo de quatro remates, e sem efeito. Isto é sinal de que a Espanha apodera-se da bola.

É um aspecto em que a selecção do país vizinho é demolidora. Os espanhóis têm a bola, em média, em 61 por cento do tempo de jogo, enquanto os portugueses aguentam a bola durante 46 por cento do tempo. 
 
Quanto a golos marcados neste Europeu, o conjunto consegue ser, até ao momento, o segundo mais concretizador, com oito golos, a seguir à Alemanha, que tem mais um. Portugal tem seis, sendo três deles da autoria de Cristiano Ronaldo. 
 
A defesa menos batida também é espanhola
Nesta altura, "nuestros hermanos" somam apenas um golo sofrido durante a fase final do Euro, que aconteceu logo na primeira jornada da fase de grupos, no empate com a Itália. A Espanha tem mesmo a defesa menos batida. Já Portugal, sofreu quatro tentos dos adversários.
 
A equipa das quinas tem demonstrado menor acerto nos remates: apenas 47 por cento foram directos à baliza. Do lado contrário, a Espanha leva para o confronto 66 por cento das bolas atiradas na direcção da baliza.
 
Ainda assim, dos remates certeiros, a Espanha conseguiu concretizar 18 por cento em golos, uma percentagem idêntica à dos lusos.
 
Cristiano Ronaldo é o jogador em destaque 
Em relação a individualidades, o destaque da equipa portuguesa vai para Cristiano Ronaldo, candidato a melhor marcador do torneio, com três golos. O capitão lidera ainda a lista dos que mais rematam à baliza (14). Nani e João Moutinho são também dois nomes importantes das cores nacionais: somam duas assistências cada um.
 
Fábregas e Torres, cada um com dois golos marcados, Iniesta, com onze remates à baliza e David Silva, com três assistências, são alguns dos destaques da poderosa equipa espanhola, campeã europeia e mundial em título.
 
Mais do que uma guerra de números, a partida que tem início às 19h45, em Donetsk, é um confronto entre duas equipas que se conhecem bem e que desejam, a todo o custo, chegar à final do Campeonato Europeu 2012.