Politécnicos querem "encontrar soluções para proteger estudantes"

26 jan, 2014

Ministro da Educação convocou as associações académicas para discutir as praxes e também vai falar do tema com conselho de reitores e conselho dos institutos politécnicos.

O presidente do Conselho Coordenador dos Institutos Politécnicos garante que está interessado em encontrar mecanismos que protejam os estudantes durante as praxes académicas.

Joaquim Mourato, em declarações à Renascença, afirma que vai de mente aberta ao encontro com o ministro da Educação, Nuno Crato, marcado para a próxima sexta-feira.

“Para além dos assuntos que temos vindo a tratar acerca do ensino superior, não sei o que é o que senhor ministro pode introduzir na reunião, mas, com certeza, que se colocar esta questão [das praxes] o conselho não se coloca à margem de um assunto que possa dizer respeito aos estudantes”, afirma o presidente do Conselho Coordenador dos Institutos Politécnicos.

“Nós, obviamente, estaremos interessados a encontrar sempre soluções que possam proteger os estudantes. Se a tutela colocar essa questão, com certeza que nós iremos ouvir o que a tutela tem a dizer e depois o conselho irá reflectir sobre o assunto e, eventualmente, tomar alguma posição”, sublinha Joaquim Mourato.

Antes do encontro com os conselho de reitores e conselho dos institutos politécnicos, o ministro da Educação recebe as associações que representam os estudantes, dos estabelecimentos de ensino superior, públicos e privados na quinta-feira.

O encontro acontece na sequência de preocupações já manifestadas sobre excessos e consequências das praxes e depois da morte de seis alunos na praia do Meco, num caso que poderá estar relacionado com o ritual da praxe.