Passos Coelho

Passos diz que CDS está com o Governo

04 jul, 2013

Demissão de Paulo Portas foi "pessoal" e não põe em causa apoio do CDS-PP ao executivo, afirma o primeiro-ministro.
Passos diz que CDS está com o Governo
Passos diz que CDS está com o Governo
Pedro Passos Coelho assegura que Paulo Portas lhe garantiu apoio do CDS-PP ao Governo, disse no Palácio de Belém, após uma reunião do Conselho Superior de Defesa Nacional e de um encontro realizado antes entre o chefe do Governo e o Presidente da República. Os pormenores do entendimento continuam por divulgar.

Pedro Passos Coelho assegura que Paulo Portas lhe garantiu apoio do CDS-PP ao Governo, disse no Palácio de Belém, após uma reunião do Conselho Superior de Defesa Nacional e de um encontro realizado antes entre o chefe do Governo e o Presidente da República. Os pormenores do entendimento continuam por divulgar.

“Foi-me transmitido pelo doutor Paulo Portas que o CDS-PP, num quadro que deverá ser agora aprofundado junto dele e do partido, que será encontrada uma forma de poder garantir o apoio político do CDS ao Governo e, nessa medida, de garantir a estabilidade política no país”, disse o governante, dando a entender que este processo não está ainda totalmente concluído.

A demissão de Portas do cargo de ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros foi "pessoal" e não põe em causa apoio do CDS-PP ao Governo, declarou o primeiro-ministro.

Pedro Passos Coelho, que falava aos jornalistas no final da reunião, adiantou que se comprometeu com Paulo Portas a "encontrar a melhor fórmula de garantir, tão rapidamente quanto possível, perante o país a solução para esta situação" de crise no Governo.

“Da minha parte devo dizer ao país que, como primeiro-ministro, tudo farei para garantir as condições que são necessárias para que o Governo prossiga o seu trabalho em condições, como é obrigatório e patriótico, conseguir cumprir o nosso programa de assistência económica e financeira, garantir o regresso de Portugal aos mercados, ainda que de uma forma apoiada, e conseguir que todos os sacrifícios e esforços realizados até hoje pelos portugueses possam ser premiados e recompensados pelos resultados consistentes e sólidos que vamos acumulando.”

Como chefe do Governo, Passos Coelho diz que vai "procurar agora junto dos dois partidos um reforço desse apoio político ao Governo, que permitirá que ele desempenhe esta tarefa".

O primeiro-ministro disse após um encontro com Cavaco Silva, que compete ao Presidente da República fazer uma avaliação sobre a crise governativa e uma nova solução que apoie o Executivo PSD/CDS-PP.