Tempo
|

Anestesistas de Braga em greve

30 mai, 2013

Serviços mínimos devem minorar efeitos da paralisação, convocada por “razões de risco” dos anestesiados na unidade de saúde bracarense e falta de condições.

Os médicos anestesistas do Hospital de Braga estão em greve desde a meia-noite desta quinta-feira e até amanhã, sexta-feira. A paralisação deve afectar, sobretudo, as cirurgias programadas para os dois dias, mas estão assegurados os serviços mínimos.

O protesto foi convocado pelo Sindicato Independente dos Médicos (SIM), que se queixa da degradação das condições de trabalho – cenário rejeitado pela administração.

Mesmo assim, a Administração Regional de Saúde do Norte pediu a intervenção da Inspecção-Geral das Actividades em Saúde.

“A ARS-N solicitou a devida informação sobre questões que têm vindo a ser suscitadas quanto à regularidade, continuidade e qualidade assistencial das prestações, - bem como quanto à idoneidade formativa do Hospital de Braga - que, não sendo cabalmente esclarecedoras, suscitarão a solicitação pelo Conselho Directivo da ARS-N da intervenção da Inspecção-geral das Actividades em Saúde (IGAS)”, informa um comunicado emitido na quarta-feira.

O SIM aponta a segurança dos doentes anestesiados na unidade hospitalar como principal justificação para a greve. Na segunda-feira, o sindicato denunciou que os doentes anestesiados no Hospital de Braga “correm riscos”, carência de material, excesso de médicos tarefeiros e “utilização das salas para cirurgias programadas que deviam estar disponíveis apenas para intervenções de urgência”.